GP da China: Resultado e análise

Esse foi o resultado do GP da China:

1°. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), 56 voltas
2°. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), a 5s1
3°. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), a 7s5
4°. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), a 10s0
5°. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 13s4
6°. Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 15s8
7°. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 30s6
8°. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), a 31s0
9°. Vitaly Petrov (RUS/Renault), a 57s4
10°. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), a 1min03s2
11°. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), a 1min08s7
12°. Nick Heidfeld (ALE/Renault), a 1min12s7
13°. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), a 1min30s1
14°. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), a 1min30s6
15°. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), a 1 volta
16°. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault), a 1 volta
17°. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari), a 1 volta
18°. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth), a 1 volta
19°. Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault), a 1 volta
20°. Jérome D’Ambrosio (BEL/Virgin-Cosworth), a 2 voltas
21°. Timo Glock (ALE/Virgin-Cosworth), a 2 voltas
22°. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth), a 2 voltas
23°. Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth) a 2 voltas
24°. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari), Abandonou

McLAREN – Mostrou que quando consegue fazer uso de uma boa estratégia pode ameaçar a Red Bull. Hamilton se mostrou mais forte que seu companheiro e conseguiu fazer bom uso dos pneus, contrariando um pouco a fama de piloto gastão de borracha. Button foi menos eficiente que Hamilton, mas nem por isso foi mal. Palmas à equipe que destronou o temido carro de Newey.

RED BULL –
Sofreu com a ausência de KERS em seus dois carros e Vettel ainda não conseguia falar com sua equipe pelo rádio. Webber fez uma excelente corrida saindo de 18º e chegando ao pódio. Vettel perdeu a corrida para o consumo dos pneus, mostrando que a Red Bull apesar de mais rápida não é a mais gentil no uso dos compostos a ponto de poder fazer uma parada a menos.

MERCEDES – Surpreendeu num bom ritmo de corrida com seus dois carro, mas o destaque ficou a cargo de Rosberg, que chegou a liderar com certa tranquilidade mas teve seu pódio “tungado” por problemas no fim da corrida. Schumacher, mais discreto, ainda poderia ter passado Alonso se houvesse mais 2 ou 3 voltas.

FERRARI –
Esboçou um bom ritmo de prova em alguns momentos, mas no fim ficou atrás das Red Bull, McLaren e até de uma Mercedes. Se antes o problema era tido como só na classificação, agora a imagem é que o carro não é bom também numa corrida toda. Internamente Massa se cacifa em cima de Alonso, terminando mais uma vez à frente do espanhol.

RENAULT –
Um GP decepcionante, não tendo nenhum de seus pilotos em condições de disputar as primeira posições nem oferecer grandes pegas. Petrov à frente de Heidfeld, sem mensosprezar o mérito do russo, não quis dizer muito, pois ambos não mostraram competitividade a bordo do R31.

SAUBER –
Um pontinho e só. Sofreu com pequenas barbeiragens de Kobayashi e Pérez, mas o carro em si também não mostrou ter melhorado, ao passo que suas rivais parecem ter evoluído um pouco. Mas esse GP sem resultados eu espeto mais no lombo dos pilotos, que não brilharam  

FORCE ÍNDIA – Mostrou ter melhorado um pouco em relação ao início do ano, o suficiente para dar canseira à Sauber (mas não superá-la) e circunstâncialmente a Renault de Heidfeld, que antes ficavam mais à frente. Sutil foi vitima de Perez e di Resta fez uma corrida regular, sem grandes lances.

WILLIAMS –
Infelizmente a Williams se fixa lá atrás. O 13º lugar de Barrichello além de não ser bom é ilusório, pois só chegou à frente de Sutil porque ele teve que trocar o bico e de Pérez por ter sido punido. Além disso em mais uma ou duas voltas Buemi poderia tê-lo passado, já que vinha fazendo voltas mais rápidas. Maldonado foi pior ainda, ficando atrás até de uma Lotus. Pelo menos sues dois carros terminaram uma corrida. Agora voltam pra Inglaterra e ou Sam Michael tira um enorme coelho da cartola ou pode ser tirado da equipe. Não só ele, aliás.

TORO ROSSO –
Cometeu um erro cretino ao não prender direito a roda traseira de Alguersuari  obrigando-o a abandonar quando vinha numa posição razoável e Buemi perdeu 5 logo na largada. A equipe perdeu uma excelente chance de pontuar com seus dois carro largando no Top 10.

LOTUS –
Outra equipe que merece destaque, tendo visto Heikki Kovalainen chegar à frente de uma Williams e uma Sauber. Trulli teve também uma corrida sem sobressaltos, mas inferior a de Kovalainen, sobretudo à uma parada de box problemática, segundo o próprio italiano.

VIRGIN – Continua lá atrás, só que dessa vez mais longe da Lotus, que costuma ter desempenho parecido com o seu. D´Ambrosio terminou à frente de Glock, que parece mais do que o belga sentir o abatimento por ter um carro pior que o esperado, que ja não era grande coisa, diga-se.


HISPÂNIA – Terminou a corrida com seus dois carros, sinal que avançaram em confiabilidade. A próxima meta é alcançar a Virgin, algo que causaria risos dos mais otimista ha 3 GPs, mas hoje é possível sim.

Anúncios
Esse post foi publicado em análise, GP da China, resultados. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s