GP da Turquia – Resultados e análise

E deu o óbvio: Red Bull sobrou nas mãos de Vettel que caminha a passos largos rumo ao bicampeonato aos 23 anos de idade. Vejamos a corrida de cada uma das equipes:

Red-Bull: Sobrou de novo, tem o melhor carro tanto na classificação como na corrida.Vettel domina tudo e Webber, eficiente, só consegue acompanhá-lo, de longe. Se o KERS ainda não está 100%, nesse fim de semana pelo menos não criou problemas. Nesse ritmo, periga a equipe ser campeã logo depois do meio do ano.

Ferrari: fazendo o melhor que pode, não se destacou na classificação e na corrida Alonso soube fazer uma boa corrida sendo agressivo o tempo todo para garantir um muito bem vindo 3º lugar, que chegou a ser 2º antes de Webber acabar com a festa. Massa não teve uma classificação muito feliz e na corrida foi agressivo, mas uma escapada e os erros da equipe em todos os seus pit-stops conseguiram colocá-lo abaixo da zona de pontos. Erraram de propósito? Não, mas arrisco dizer que tomam mais cuidado com que é prioritário e é prioritário quem é mais rápido, independente de nacionalidade.

McLaren: Como não trouxe novidades para seu carro nessa etapa, perdeu terreno pra concorrência em relação à performance apresentada na Malásia, onde era “vice-absoluta” e agora dividiu com Ferrari a posição de melhor atrás da Red Bull. Seus pilotos fizeram corridas decentes mas uma estratégia ousada demais (um pit a menos) para Button não lhe permitiu capitalizar mais que uma 6ª posição. Hamilton, devorador de pneus, fez uma corrida correta apesar do erro na primeira volta quando tentou uma ultrapassagem difícil e perdeu posições. Depois teve um probleminha nos pits mas terminou no 4º lugar sem ameaçar Alonso. Precisam melhorar.

Mercedes: Mostrou-se melhor em classificação do que em corrida. Rosberg, fã da asa móvel, talvez relativize um pouco sua ardorosa paixão pelo invento depois de ser ultrapassado por muitos, ainda que tenha ultrapassado outros tantos. Quanto a Schumacher, só não digo que esteve irreconhecível porque ele sendo passado por todo mundo e “ousando” demais nas defesas de posição já começa a ser uma imagem comum na F1 desde 2010. No fim a Mercedes viu Rosberg chegar num bom 5º lugar, Schumacher num fraco 12º e a Renault passar a sua frente no campeonato de construtores.

Renault: Mais fraca que nas corridas iniciais, começa a se distanciar do pódio e viu seus dois pilotos se triscando na pista.  No fim Heidfeld ficou a frente de Petrov, mas nenhum dos dois fez uma grande corrida nem ficaram à frente de carros melhores por méritos seus e sim por circunstâncias. o bom é que ambos pontuaram e alavancaram a posição da equipe ao 4º lugar.

Toro-Rosso: Com uma parada a menos e uma condução racional, Buemi levou sua Toro Rosso à uma boa 9º colocação e 2 pontos. Meritos do piloto, que soube ser agressivo mas não acabar com os pneus e do carro, que permitiu isso a seu piloto. Alguersuari não aguentou e teve que parar no finzinho, chegando em 15º. Aos poucos Buemi se destaca na vital disputa interna, lembrando quem um dos dois pode ser promovido à Red Bull no fim do ano ou demitido pra entrada do reserva Daniel Ricciardo, antes do fim do ano.

Sauber: Uma corrida razoável para uma equipe razoável. O carro, se não é nenhuma maravilha, permite seus pilotos lutar por um ou outro pontinho quando as outras equipes mais fortes tropeçam. Kobayashi, largando em último fez ótimas e arriscadas ultrapassagens e mereceru seu ponto, e olha que teve um pneu furado num toque com Buemi. Sérgio Perez errou, principiante que é, e teve que parar logo no começo pra trocar o bico depois de se engalfinhar com alguém. Depois fe sua corridinha discreta, sem grandes lances.

Force-Índia: Com um carro inferior ao que teve no ano passado, pontuar se torna um objetivo mais difícil. Sutil fe uma corrida raoável, passando Barrichello na segunda metade da coriida quando o brasileiro ja sofria com o desgaste acentuado de sesu pneus e a ausência do KERS, mas levou passão de Koba. Já di resta, em corrida igualmente discreta, mas eficiente, abandonou

Williams: Que tristeza… Só chegaram à frente das novatas Lotus, Virgin e Hispânia. Alguersuari ficou atrás de Barrichello porque teve que fazer uma parada não programada na penúltima volta e se a pista tivesse mais 500 metros passava o brasileiro fácil (chegou a). Se na classificação a coisa foi sofrível, com Barrichello tirando leite de pedra ao largar na 11ª posição, em ritmo de corrida não havia o que fazer, todo mundo passava as Williams, que não contaram o o KERS depois que ele esquentou demais. Agora é esperar que as novidades como o novo escapamento e assoalho que estreiam na Espanha façam alguma coisa pela equipe que não marcou nem um único e mísero pontinho nesse pior início de campeonato de sua história (está em 10º lugar).

Lotus, Virgin e Hispânia:
Lotus fez uma corrida razoável, chegando a ver Kovalainen à frente de Maldonado em certa hora, mas no fim ficou atrás. Pra quem queria marcar pontos, ta longe ainda, mas se distância de Virgin e Hispânia, que por sua vez estão cada vez mais próximas em desempenho de pista, com a Hispânia tendo a seu favor mais durabilidade que a equipe virginal.

Veja abaixo o resultado final da corrida e como ficaram os campeonatos de pilotos e construtores:

1 Sebastian Vettel Red Bull
2 Mark Webber Red Bull
3 Fernando Alonso Ferrari
4 Lewis Hamilton McLaren
5 Nico Rosberg Mercedes
6 Jenson Button McLaren
7 Nick Heidfeld Renault
8 Vitaly Petrov Renault
9 Sebastien Buemi Toro Rosso
10 Kamui Kobayashi Sauber
11 Felipe Massa Ferrari
12 Michael Schumacher Mercedes
13 Adrian Sutil Force India
14 Sergio Perez Sauber
15 Rubens Barrichello Williams
16 Jaime Alguersuari Toro Rosso
17 Pastor Maldonado Williams
18 Jarno Trulli Lotus
19 Heikki Kovalainen Lotus
20 Jerome d’Ambrosio Virgin
21 Narain Karthikeyan HRT
22 Vitantonio Liuzzi HRT

Pos Piloto Pontos
1 Sebastian Vettel 93
2 Lewis Hamilton 59
3 Mark Webber 55
4 Jenson Button 46
5 Fernando Alonso 41
6 Felipe Massa 24
7 Nick Heidfeld 21
8 Vitaly Petrov 21
9 Nico Rosberg 20
10 Kamui Kobayashi 8
11 Michael Schumacher 6
12 Sébastien Buemi 6
13 Adrian Sutil 2
14 Paul Di Resta 2
15 Jaime Alguersuari 0
16 Rubens Barrichello 0
17 Jarno Trulli 0
18 Sergio Pérez 0
19 Jérôme D’Ambrosio 0
20 Heikki Kovalainen 0
21 Timo Glock 0
22 Pastor Maldonado 0
23 Narain Karthikeyan 0
23 Vitantonio Liuzzi 0
Pos Equipe Pontos
1 Red Bull/Renault 148
2 McLaren/Mercedes 105
3 Ferrari 65
4 Renault 42
5 Mercedes 26
6 Sauber/Ferrari 8
7 Toro Rosso/Ferrari 6
8 Force India/Mercedes 4
9 Lotus/Renault 0
10 Williams/Cosworth 0
11 Virgin/Cosworth 0
12 HRT/Cosworth
Anúncios
Esse post foi publicado em análise, Felipe Massa, GP da Turquia, resultados, Rubens Barrichello. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s