Red Bull e McLaren trocam acusações

Depois da proibição do motor funcionar a mais de 10% de seu potencial quando não demandado diretamente pelo acelerador do piloto, a expectativa geral é que as equipes perdessem desempenho, sobretudo as equipadas com Renault e Mercedes.

Mas após os treinos dessa sexta-feira Martin Withmarsh da Mclaren (Mercedes) e Christian Horner na Red Bull (Renault) trocaram acusações de que os motores alheios não estavam funcionando com as restrições obrigatórias.

Como o funcionamento do mapeamento dos motores voltaram aos patamares de 2009, o que se comenta nos bastidores é que a fabricante os Mercedes teriam conseguido burlar a regra, por ter um funcionamento distinto dos franceses, e manter o fluxo de ar nos escapamentos mesmo sem a aceleração através de uma manobra chamada “fired over run” que jogaria um pouco de gasolina não mais dentro da câmara dos cilindros, mas sim na saída de ar deles e no contato com os escapamentos incandescentes esse combustível queimaria, despejando ar quente.

Como os motores da Renault, por questões técnicas (tendo como base o funcionamento em 2009, lembre-se) não consegue fazer isso sob risco de estourarem, a FIA teria autorizado esses motores funcionarem com o mapeamento à 50% (e não 10%), fazendo que que o ar frio chegue no difusor traseiro só que as acusações são de que o ar frio, por ser mais denso, funciona melhor e traria vantagens para a Red Bull. Essa, por seu lado diz que a solução da Mercedes conseguiria maior fluxo de ar, ainda que quente… Enfim, uma discussão sem ganhadores claros.

Essa falta de claridade quanto as regras e a disparidade em sua aplicação foi então o estopim dos desentendimentos, com ambos os chefes de equipes finalmente concordando que as regras precisam ser absolutamente claras, “pretas no branco”, e o ideal seria que tais mudanças fossem implementadas somente para o ano que vem, jogando a batata quente de volta para a FIA.

Para fechar a discussão, Tony Fernandes dono da Lotus e que estava presente nessa coletiva disse: “Se eu não entendi nada (dos termos técnicos usados por Horner e Withmarsh), que chance tem os fãs de Formula 1”!?

ATUALIZADO: No sábado foi acertado pela FIA em comum acordo com as equipes que os motores Renault correrão com a restrição inicial de mapeamento à 10% e não mais 50%. A Red Bull exige que essa medida seja ser reestudada para a próxima corrida, o GP da Alemanha, pois se sente prejudicada.

Esse post foi publicado em GP da Inglaterra, mapeamento do motor, Mercedes, Renault, Silverstone. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s