GP da Inglaterra de F1 – Resultados e análise

Abaixo está o resultado do Grande Prêmio da Inglaterra de Formula 1. A seguir está minha análise da corrida equipe-por-equipe:

Pos. Piloto Equipe Tempo
1. Fernando Alonso Ferrari 1:28:41.196
2. Sebastian Vettel Red Bull +16.511
3. Mark Webber Red Bull +16.947
4. Lewis Hamilton McLaren +28.986
5. Felipe Massa Ferrari +29.010
6. Nico Rosberg Mercedes +1:00.665
7. Sergio Perez Sauber +1:05.590
8. Nick Heidfeld Renault +1:15.542
9. Michael Schumacher Mercedes +1:17.912
10. Jaime Alguersuari Toro Rosso +1:19.108
11. Adrian Sutil Force Índia +1:19.712
12. Vitaly Petrov Renault +1:20.681
13. Rubens Barrichello Williams +1 volta
14. Pastor Maldonado Williams +1 volta
15. Paul di Resta Force Índia +1 volta
16. Timo Glock Virgin Racing +2 voltas
17. Jerome d` Ambrosio Virgin Racing +2 voltas
18. Vitantonio Liuzzi Hispânia +2 voltas
19. Daniel Ricciardo Hispânia +3 voltas
Não terminaram:
20. Jenson Button McLaren +12 voltas
21. Sebastien Buemi Toro Rosso +27 voltas
22. Kamui Kobayashi Sauber +29 voltas
23. Jarno Trulli Lotus F1 +42 voltas
24. Heikki Kovalainen Lotus F1 +50 voltas

A corrida foi boa, com lances interessantes e a pista molhada no início dela trouxe mais uma variável que certamente pesou no resultado final da corrida. Todo esse jogo de forças pode mudar um pouco (A favor da Red Bull) com a volta dos padrões de mapemaneto de motor do GP da Europa, onde os carros tem que largar com a mesma configuração eletrônica da classificação, evitando apenas o uso de versões ainda mais “apimentadas” do mapeamento, mas com ele em si funcionando.

FERRARI: Graças a grande eficiência de Fernando Alonso e as novidades que incorporaram, o primeiro lugar foi alcançado. Mas a sorte pesou bastante a seu favor: Com a largada sob piso molhado eles não precisaram usar os pneus duros, que não lhes são favoráveis (foram de intermediários e macios, como todo mundo) e o problema no pit-stop de Vettel caiu como uma luva paras as pretensões do espanhol. Massa fez uma corrida regular, sem grandes problemas mas tampouco com um desempenho próximo a de seu companheiro, apesar da combatividade nas últimas curvas.

RED BULL: Com a restrição (já retirada) do mapeamento de motor e o problema no pit-stop a Red Bull não conseguiu chegar a vitória nesse GP. A destacar também a certa inabilidade de Vettel em ultrapassar rivais (Só passou Hamilton nos boxes) e a ordem de equipe onde Webber foi “orientado” a manter a distância atrás de Vettel, uma novidade para uma equipe que se dizia contra esse tipo de expediente.

MCLAREN: Entre as três grandes a equipe inglesa é a que, aparentemente, perdeu mais nas últimas duas corridas. Terá sido em parte pela proibição do mapeamento eletrônico? As rivais simplesmente melhoraram mais seus carros? A resposta terá que aguardar o próximo GP, mas a pressão interna na equipe já está subindo, sobretudo depois do erro besta no pit-stop de Button e do ritmo lento de Hamilton, limitado pelo consumo de combustível (colocaram menos que o devido?).

MERCEDES: Após uma classificação discreta a corrida de Rosberg terminou num bom 6º lugar, longe das equipes da frente e quase sempre pressionada por Sérgio Perez. A Mercedes é tida como uma das equipes que perderam mais desempenho com a proibição do mapeamento, então com a revogação dessa proibição a partir da corrida que vem isso pode contar a favor. Schumacher errou ao bater em Kobayashi e fez uma corrida complicada, com punição de stop & go de 10 segundo mas ainda assim marcou mais dois pontos.

SAUBER: Depois da apagada participação em Valência a equipe suíça parece ter recuperado seu fôlego com a boa corrida de Perez e Kobayashi (não fosse as pancadas que recebeu). Devemos ver na próxima corrida se a volta dos escapamentos sopradores/mapeamento de injeção coloca a concorrência novamente distante de seu traio de ação.

TORO-ROSSO
: Alguersuari, que ha poucas corridas atrás estava com seu lugar ameaçado hoje é quem lidera a pontuação interna da equipe. Ok, por apenas 1 ponto de vantagem, mas na guerra para não perder o lugar em 2012 para Ricciardo ele está na frente, e chegar no Top 10 depois de largar lá atrás só o ajuda, especialmente após ver seu companheiro se envolver num toque que lhe custou o pneu e a corrida

RENAULT: Com uma estratégia mais acertada para Heidfeld, que correu solidamente rumo ao oitavo lugar a Renault fez um corrida melhorzinha que a anterior, mas fica reforçada a impressão que estão andando para trás em desenvolvimento de carro e podem ter sofrido bastante com a restrição do tal mapeanento eletrônico, a ponto de ja cogitarem o abandono dos escapamentos dianteiros (já testaram o carro sem ele). Petrov apesar de ter se classificado à frente de Heidfeld não largou bem e corre pior, chegando atrás no pelotão liderrado de seu companheiro.

FORCE-ÍNDIA: Fez uma corrida discreta, e teria chegado aos pontos não fosse o ridículo erro da equipe no pit-stop do velóz e sólido Paul di Resta. Sutil correu bem, mas sem qualquer brilho que lhe permita sonhar com convites de equipes melhores para o ano que vem.

WILLIAMS: Depois de treinos relativamente promissores a corrida lhes foi ruim pois estavam com o carro acertado para o tempo seco (e ela começou com pista molhada), de modo que a suspensão deles estava muito dura lhes custando tração na largada e uma condução arisca no restante da corrida. Só no final com a pista já completamente seca foram capazes de reagir (Barrichello marcou o segundo melhor tempo da corrida), mas aí já era tarde e estavam muito atrás. Graças a uma estratégia de uma parada a menos Barrichello chegou 3 posições à frente de onde largou enquanto Maldonado veio atrás dele depois de perder 7 em relação ao grid. Como disse Fábio Seixas, quando dois pilotos com níveis de experiência tão diferentes andam tão próximos é sinal de que o limitador é o equipamento. 

LOTUS, VIRGIN, HISPÂNIA: Depois de uma boa classificação com Kovalainen passando para o Q3 a Lotus nada teve a celebrar com seus dois abandonos. Virgin e Hispânia então fizeram dobradinhas no fundão como as únicas equipes a tomarem 2 voltas dos líderes (3 no caso de Ricciardo, que ainda não pegou muito a mão da carroça que dirige).

Esse post foi publicado em balanço da corrida, corrida, GP da Inglaterra, resultados, Silverstone. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s