Números enganosos

Hoje selecionei os tempos de voltas de Michael Schumacher e Nico Rosberg, pilotos da Mercedes GP para mostrar como o simples acesso aos números pode levar a conclusões erradas se não houver a correta interpretação deles.

Segundo os números acima, Schumacher fez a melhor corrida entre os dois, até porque chegou em 6º, à frente inclusive de uma Ferrari, carro mais rápido que o seu, e Rosberg em 10º, atrás de carros como Renault e Sauber, em tese mais lentos que sua Mercedes.

Entretanto, devido a problemas mecânicos na classificação Rosberg largou lá do 23º lugar e numa corrida com apenas um abandono teve que negociar ultrapassagens com mais de uma dezena de carros para chegar onde chegou, o que compromete e muito o ritmo de voltas de qualquer piloto, até porque quanto mais pra frente chegava, melhores eram os carros que enfrentava.

Não quero com isso diminuir a corrida em ritmo forte que Schumacher fez, mas se prestarmos bem atenção veremos que Rosberg fez um trabalho notável com o equipamento que dispunha saindo da última fila e os números frios dos tempos de volta na tabela acima não refletem essa realidade.

Por isso deve-se olhar a corrida com mais distanciamento do que emoção: para entender a dinâmica da corrida de cada piloto, evitando assim julgamentos iniciais tendenciosos e errados por não refletir com a necessária friezaos sobre os dados disponíveis (tempos de voltas, entrevistas dos pilotos, equipes etc)

Esse post foi publicado em Michael Schumacher, Nico Rosberg. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s