GP da Austrália – Resultados e análise "equipe-por-equipe"

Na primeira corrida do ano, um resultado até de certa maneira surpreendente, seja pelo ganhador que não era o franco favorito pelo que se viu na classificaão, embora fosse bem cotado, seja pelo desempenho de algumas equipes e ou pilotos, acima ou abaixo do que se esperava. Vamos agora à nossa tradicional “análise equipe-por-equipe” do interessante mas não conclusivo GP da Austrália 2013 de F1, onde estratégia e desgaste de pneus ditaram os acontecimentos.

LOTUS: Pelo que se viu na pré-temporada era uma das equipes mais próximas ao desempenho da Red Bull, sobretudo em ritmo de corrida onde mantinha bom ritmo de voltas sem desgastar muito os pneus, o que se confirmou nos treinos livres com tempo seco. Kimi adotou a estratégia de uma parada a menos e deu o bote em Alonso e Vettel. Grosjean disse que havia algo errado com o seu carro, por isso não teria passado da 10ª colocação. Agora vamos ver na Malásia, uma pista de verdade, como as coisas serão também na classificação que por ter sido molhada e confusa não ajudou muito na leitura.

FERRARI: Definitivamente começou o ano melhor do que em 2012 e continua com seu ponto forte, ritmo de corrida, como grande trunfo, segundo bem de perto Vettel e sua Red Bull. Alonso chegou em segundo graças à uma estratégia diferente (e ousada) da de Massa, adiantando sua parada, mas na pista não conseguiu passar o brasileiro. Massa, que não gostou nada da “sacada” estratégica de Alonso, mostrou-se muito competitivo e num começo de ano realmente promissor.

RED BULL: Melhor carro de longe na confusa classificação era esperado que a dupla disparasse na ponta e fizesse dobradinha. Mas não aconteceu. Webber largou com a agilidade de um cágado e Vettel logo percebeu que não conseguiria abrir das Ferrari e ainda tomou uma invertida de Alonso na parada de box, não conseguindo dar o troco até o final. Webber, discreto, não fez nada demais. Temos que esperar o GP da Malásia, sem chuva na classificação para ver mesmo a que veio a Red Bull nesse começo de ano, mas em ritmo de prova não parece ter a velocidade de volta lançada.

MERCEDES: Hamilton tentou a estratégia de duas paradas, mas logo descobriu que assim como em 2012 os carros prateados comem borracha como poucos e teve que parar de novo, chegando num razoável 5º lugar, mas com a impressão inicial semelhante a da Red Bull, onde a classificação é melhor que o ritmo de corrida. Rosberg abandonou quando estava atrás de Hamilton, provavelmente se perguntando se assim será o resto do ano.

FORCE ÍNDIA: A equipe lidera corridas desde o GP Brasil do ano passado, e sempre com seus pilotos alemães. Sutil brilhantemente jogou com a estratégia de duas paradas, mas o trecho final com os pneus macios não lhe deu a durabilidade que precisava e foi caindo, não antes de deixar uma boa impressão no paddock. Di Resta chegou logo atrás do companheiro, mas sem o destaque nem o desempenho vistoso dele. Ta ficando com cara de mais uma daquelas grandes promessas que aos poucos vão se revelando apenas bons pilotos.

McLAREN: Taí uma equipe que andou para trás. Se lembrarmos que eles começaram e terminaram o ano ganhando corrida, dessa vez a coisa está bem diferente e já até cogitam voltar a usar uma versão atualizada do carro de 2012. Button se sustentou como pode na 9º colocação, salvando magros 2 pontinhos numa corrida apagadíssima e Perez levou passão de meio mundo e chegou a ficar uma volta atrás dos líderes, algo até outro dia impensável para uma McLaren. No fim chegou junto de Grosjean e Button mas fora dos pontos. Uma luz vermelha ascendeu em Woking.

TORO ROSSO A equipe italiana fez boas voltas com Ricciardo e, sobretudo Vergne. Enquanto o australiano de sobrenome italiano não terminou a corrida por problemas no carro, o francês o fez e ainda deu uma pressão em Perez. Outra coisa a se notar é que na confusa classificação nenhum deles não foi cortado no Q1, algo que acontecia sempre no ano passado.

SAUBER: Com Hulkenberg sequer largando (ele parece ser zicado nessa pista), coube a Gutierrez mostrar o potencial do carro. E isso não aconteceu. Será que a Sauber é uma bomba? Muito cedo pra dizer, afinal nosso parâmetro é o desempenho de estreia de um piloto numa pista e categoria novas, mas os suíços passaram a impressão de não terem mantido a competitividade vista no carro do ano passado. Aguardemos a Malásia.

FOTOS: Sutton Images

WILLIAMS: Assim como a McLaren, a equipe de Frank Williams viu uma luz vermelha ascender (de novo) em sua sede. O carro simplesmente não tinha velocidade e tanto Maldonado como Bottas não fizeram frente a quase ninguém. Bottas só chegou à frente das nanicas mas o veloz e já razoavelmente experiente Maldonado rodou sozinho quando “lutava para manter o carro inguiável na pista“, ficando claro que, aparte as eventuais deficiências dos pilotos, o carro é o problema. Espero que na Malásia a equipe se entenda melhor, pois uma temporada fraca como a de 2011 poderia ser comercialmente desastrosa para eles, que já dependem de pilotos pagantes.

MARUSSIA e CATERHAM: Definitivamente Jules Bianchi deixou a impressão de ser uma nota fora do tom entre as nanicas. E fora do tom para melhor. Ele chegou à frente do pelotão do fundão e anotou as melhores voltas do grupo, sendo o único a não levar duas voltas do líder. Os demais, também novatos, cumpriram seus papeis de figurar. Marussia parece realmente ter chegado ou mesmo superado a Caterham.

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1


Pos. Piloto Equipe/Motor Tempo/Dif.

1. Kimi Raikkonen Lotus-Renault 1h30m03.225s
2. Fernando Alonso Ferrari + 12.451s
3. Sebastian Vettel Red Bull-Renault + 22.346s
4. Felipe Massa Ferrari + 33.577s
5. Lewis Hamilton Mercedes + 45.561s
6. Mark Webber Red Bull-Renault + 46.800s
7. Adrian Sutil Force Índia-Mercedes + 1m05.068s
8. Paul di Resta Force Índia-Mercedes + 1m08.449s
9. Jenson Button McLaren-Mercedes + 1m21.630s
10. Romain Grosjean Lotus-Renault + 1m22.759s
11. Sergio Perez McLaren-Mercedes + 1m23.367s
12. Jean-Eric Vergne Toro Rosso-Ferrari + 1m23.857s
13. Esteban Gutierrez Sauber-Ferrari + 1 volta
14. Valtteri Bottas Williams-Renault + 1 volta
15. Jules Bianchi Marussia-Cosworth + 1 volta
16. Charles Pic Caterham-Renault + 2 voltas
17. Max Chilton Marussia-Cosworth + 2 voltas
18. Giedo van der Garde Caterham-Renault + 2 voltas

Volta mais rápida: Raikkonen, 1m29.274s

Abandonos:

Piloto Equipe Na Volta

Daniel Ricciardo Toro Rosso-Ferrari 40
Nico Rosberg Mercedes 26
Pastor Maldonado Williams-Renault 25
Nico Hulkenberg Sauber-Ferrari 0

Pontuação após a 1ª etapa:

Pilotos:
Construtores:

1. Raikkonen 25 1. Ferrari 30
2. Alonso 18 2. Lotus-Renault 26
3. Vettel 15 3. Red Bull-Renault 23
4. Massa 12 4. Mercedes 10
5. Hamilton 10 5. Force Índia-Mercedes 10
6. Webber 8 6. McLaren-Mercedes 2
7. Sutil 6
8. Di Resta 4
9. Button 2
10. Grosjean 1

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s