GP da Inglaterra – A corrida

Nesse Grande Prêmio da Inglaterra a zebra estava solta, com os pneus estourando como rojões de ano novo e o câmbio de Vettel dando pau e lhe deixando na mão pela primeira vez no ano, além da presença dupla do safety-car que ajudou a embaralhar as coisas e trazer, ainda que artificialmente, emoção e novas disputas.

O grande nome do dia foi a Pirelli, que certamente vai ter muita dor de cabeça para se explicar pelo vexame do dia de tantos estouros (Hamilton, Massa, Vergne, Perez) e outros pequenos furos não tão dramáticos mais ainda assim perigosos (Hulkenberg, Gutierrez, Alonso, Vettel), lembrando que os italianos queriam trazer pneus novos e mais seguros para cá mas algumas equipes vetaram temendo perder vantagem sobre as rivais. Jean Todt, presidente da FIA marcou uma reunião de emergência com a fabricante nessa semana em Paris.

Vamos agora à tradicional “análise equipe-por-equipe” do GP britânico de 2013:

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1

MERCEDES: No começo Hamilton parecia ter a corrida nas mãos, mas o pneus furado jogou areia no azeitado plano inicial dos tedescos. Será que se o pneu não furasse ele aguentaria até o fim a pressão de Vettel? De qualquer modo ele se recuperou bem e terminou numa razoável 4ª posição escalando bem no final. Rosberg não teve azar de ficar sem pneus e se foi passado por Vettel na largada a sorte lhe sorriu com a vitória caindo no colo, mas com competência para impedir Webber de alcançá-lo no final. É muito cedo para batermos o martelo, mas a Mercedes parece ter corrigido ao menos em parte aquele problema de degradação de pneus. Será só mérito do teste secreto?

RED BULL:
E a sorte abandonou Vettel, ainda que momentaneamente, e com isso ele não abriu mais um caminhão de vantagem sobre seus rivais ao ficar sem marchas faltando cerca de 10 voltas para o final. Até lá fazia tudo direitinho, sem errar, continuando favorito ao título. Webber largou mal e ainda foi tocado por uma Toro-Rosso, despencando para 15º, mas com um ritmo forte aliado à dois providenciais safety-cars conseguiu escalar bem o pelotão, quase lutando pela vitória, mostrando-se bem competitivo. Na coletiva de imprensa ainda ironizou o abandono de Vettel, se referindo a ele como Michael (Schumacher).

FERRARI: Felipe Massa teve uma largada monumental e ganhou várias posições na primeira volta. Quando Hamilton abandonou sonhar com o pódio se tornou uma meta realista, mas seus pneus também lhe traíram e ele despencou pro fim do pelotão, também fazendo uma bela escalada até o 6º lugar. Alonso parecia não ter grande competitividade após largar mal, mas uma combinação de trocas de pneus na hora certa e safety-cars o colocaram de volta no bolo e com muita garra chegou ao pódio, diminuindo um pouco a distância que o separa de Vettel na pontuação, mas ele sabe que esse bônus de hoje foi circunstancial: a Ferrari como está não vai ganhar o título, eles tem que reagir rápido.

LOTUS: Grosjean não apareceu muito e no fim abandonou. Pelo menos não ferrou a corrida de ninguém Kimi poderia ir para o pódio, mas quando perguntou se não era melhor ir pro box no último safety-car a equipe disse que não, para logo depois perceber a burrada e declara via rádio que agora era tarde demais, resultado: Webber, Alonso e Hamilton calçados em pneus mais novos o passaram nas últimas voltas e ele falou pra todo mundo que foi graças a esse vacilo da equipe.

FORCE-ÍNDIA: Com Di Resta tendo que largar do fundo por trocar o câmbio de última hora, caberia a Sutil pontuar mais graúdamente pelos pontos. Seu carro pareceu ter pique até para lutar por um pódio, mas com os safety-cars e pneus desgastados ele foi sendo ultrapassado. Di Resta não veio longe e também marcou seus pontinhos confirmando a boa fase da equipe.


TORO ROSSO:
Ricciardo mostrou bom ritmo a corrida toda, com seu carro sempre disputando posições com as equipes grandes, mas no finzinho, assim como Sutil na análise acima, acabou superado pelos rivais calçados com pneus mais novos, mas deixou mais uma boa impressão. Vergne não foi tão bem, se envolveu no toque com Webber na primeira volta (ou foi Ricciardo?), foi prejudicado por um estouro de pneu e acabou por abandonar a poucas voltas do final.

SAUBER: Graças ao abandono de Grosjean na última volta os suíços voltaram a pontuar, mas para quem lutava por pódios no ano passado isso não basta para aplacar a decepção com a falta de desempenho do carro atual. Hulkeberg, único na pontuar na equipe esse ano, deve olhar para a Force Índia com lágrimas nos olhos… Gutierrez fez lá sua corridinha discreta, sem brilhos e ainda tendo que trocar o bico danificado num toque com Di Resta, creio.

WILLIAMS: Mais uma corrida longe dos pontos, a oitava dessa temporada que sem dúvida é a pior de todos que a equipe já teve. Foi sintomático receber o release da classificação da equipe ontem e ver que sequer uma vez mencionavam a possibilidade de pontuar, tamanha a pindaíba.

McLAREN: Ainda que não tão mal como a Williams, esse ano tem sido muito ruim para equipe que uma vez mais não pontua. Perez até poderia tentar pontuar, embora não tivesse um bom ritmo, mas teve seu pneu estourado nas últimas voltas enquanto Button, numa mistura de dificuldade para aquecer os pneus e compostos mais velhos, acabou virando alvo fácil nas últimas voltas. Nesse ritmo podem perder o 5º lugar no campeonato para a Toro Rosso logo logo, algo impensável até o ano passado…

CATERHAM e MARUSSIA: Mais do mesmo com os verdinhos na frente e com Pic e Bianchi se sobressaindo largamente sobre seus companheiros.

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1

Pos  Piloto         Equipe                     Tempo/Dif. 
1. Rosberg Mercedes 1h32:59.456
2. Webber Red Bull-Renault + 0.765
3. Alonso Ferrari + 7.124
4. Raikkonen Lotus-Renault + 7.756
5. Hamilton Mercedes + 11.257
6. Massa Ferrari + 14.573
7. Sutil Force India-Mercedes + 16.335
8. Ricciardo Toro Rosso-Ferrari + 16.500
9. Di Resta Force India-Mercedes + 17.993
10. Hulkenberg Sauber-Ferrari + 19.700
11. Maldonado Williams-Renault + 21.100
12. Bottas Williams-Renault + 25.000
13. Button McLaren-Mercedes + 25.900
14. Gutierrez Sauber-Ferrari + 26.200
15. Pic Caterham-Renault + 31.600
16. Bianchi Marussia-Cosworth + 36.000
17. Chilton Marussia-Cosworth + 1:07.600
18. van der Garde Caterham-Renault + 1:07.700
19. Grosjean Lotus-Renault + 1 volta

Volta mais rápida: Mark Webber, 1:33.401

Abandonos:

Piloto Equipe Na volta

Perez McLaren-Mercedes 47
Vettel Red Bull-Renault 42
Vergne Toro Rosso-Ferrari 36


Pontuação após a 8ª etapa:

Pilotos: Construtores:

1. Vettel 132 1. Red Bull-Renault 219
2. Alonso 111 2. Mercedes 169
3. Raikkonen 100 3. Ferrari 168
4. Hamilton 87 4. Lotus-Renault 126
5. Webber 87 5. Force India-Mercedes 59
6. Rosberg 82 6. McLaren-Mercedes 37
7. Massa 57 7. Toro Rosso-Ferrari 24
8. Di Resta 36 8. Sauber-Ferrari 6
9. Grosjean 26 9. Williams-Renault 0
10. Button 25 10. Caterham-Renault 0
11. Sutil 23 11. Marussia-Cosworth 0
12. Vergne 13
13. Perez 12
14. Ricciardo 11
15. Hulkenberg 6

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s