GP da Áustria – A corrida

AUS
E no retorno do GP da Áustria ao calendário da Fórmula 1, tivemos Felipe Massa na pole position, mas o retorno da supremacia da Mercedes – com Nico Rosberg à frente – nas corridas após o tropeço no GP anterior. Vamos agora à nossa tradicional “análise equipe-por-equipe” da 8ª etapa do campeonato:

MERCEDES: Rosberg mais uma vez foi bastante cerebral e, apesar de um erro pontual numa freada, que quase permitiu Bottas lhe passar, não sofreu pressão de Hamilton, que lhe escudou a maior parte do tempo, já que não permitiu aproximação. Com isso ele abre mais vantagem na tabela de pontos e Hamilton vai vendo suas chances de título aos poucos se afastando.

WILLIAMS: Finalmente um resultado sólido da equipe, que pelo carro que tem deveria estar bem melhor na tabela de pontos. Massa largou bem, mas um primeiro pit-stop ruim – mesmo em comparação à Bottas – o jogou de primeiro para quarto. Além disso quando precisou ser rápido não foi tanto quanto deveria. Bottas assim, abre mais 3 pontos para o brasileiro, mas para a equipe o resultado os colocou à frente da histórica rival McLaren e isso porque usaram estratégias conservadoras, sem sequer tentar lutar pela vitória.

FERRARI: Ainda sem um carro competitivo, Fernando Alonso conseguiu se intrometer nas equipes de motor Mercedes e anotar um 5º lugar, mostrando sua grande pilotagem e mesmo liderando efêmeramente por algumas voltas. Raikkonen continua a sofrer mais com o carro e reclamou por mais potência quando sua equipe lhe falou por rádio para se aproximar dos rivais à frente e com isso já se vê com apenas 1/4 dos pontos de seu companheiro de equipe.

FORCE ÍNDIA: Numa estratégia interessante Perez largou com os compostos mais duros, diferente de seus rivais, o que lhe permitiu ficar mais tempo na pista no primeiro stint da corrida, invertendo a ordem do uso dos compostos deixando os mais macios para o final, o que lhe rendeu um bom ritmo e chegar 3 posições à frente de Hulkenberg seu companheiro, que largara 6 posições à sua frente, mostrando o quanto é veloz. O alemão por sua vez, pontuou de novo, algo que só ele e Alonso conseguiram esse ano.

McLAREN: Nesse GP  coube a Magnussen se destacar e marcar bons pontos. Button, mais apagado chegou fora da zona de pontos e com isso a equipe caiu na tabela de pontos. A McLaren simplesmente não está reagindo como se espera de uma equipe grande, mas se compararmos com Sauber, Red Bull e Ferrari, esse parece ser um ano onde reações estão particularmente mais difíceis de sair do papel para todos que não tem um carro bom desde o começo.

RED BULL: E na corrida de casa um vexame maiúsculo, com Vettel apanhando de problemas técnicos até largar a toalha e abandonar e Daniel Ricciardo conseguindo dar um meritório bote na última volta sobre Hulkenberg, para conseguir um apagado 8º lugar. A Renault vai ficar com as orelhas quentes…

LOTUS: Mais uma corrida fora dos pontos, fazer o que!? Pastor Maldonado, entretanto, não se meteu em confusão e ainda saiu-se melhor que Grosjean tanto na classificação como na corrida. Como se apequenou essa equipe…

SAUBER: A equipe suíça que ainda não pontuou esse ano viveu um momento bizarro nessa corrida: Quando a equipe gritou no rádio para Gutierrez parar seu carro no meio do pit-lane por causa da roda solta, Sutil também recebeu e freou no meio da pista e até ser avisado que a mensagem não era pra ele e perdeu muitos segundos na disputa com Maldonado… Pela barbeiragem da equipe, além da punição de 10 segundos de Stop & Go na corrida, o mexicano ainda perderá 10 posições na próxima corrida. Que fase!

TORO ROSSO: Com várias novidades no carro a equipe italiana ainda sofre com os motores franceses, mas dessa vez Vergne, apagado por todo o final de semana com um carro que saia muito de frente, foi eliminado por problemas no freio ao passo que o veloz Kvyat ia melhor até sua suspensão traseira quebrar.

CATERHAM e MARUSSIA: Mais do mesmo: figuração de luxo e performance que não lhes permite pontuar, com a Marussia à frente nessa corrida – e nesse ano.

Formula One World Championship 2014, Round 8, Austrian Grand Prix

Tab

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

10 respostas para GP da Áustria – A corrida

  1. Marcotronics disse:

    28/07/2012 – Toto Wolf assume carga na Williams e é empresário de Valtteri Bottas ordenando uso do carro de Bruno Senna para seu pupilo nos treinos de 6a. feira.
    20/06/2014 – Toto Wolf vende 5% dos 15% de ações que tem da Williams F1
    21/06/2014 – Williams F1 faz pole no GP Austriaco, Mercedez F1 elogia! (Elogia ??)
    22/06/2014 – Bottas supera Massa nos boxes (como assim?) e Massa em 4o. não tenta aproximação nas 13 voltas finais quando estava a 3.5 segundos de Bottas que era o 3o. Bottas vai a pódio. Williams faz 3o. e 4o. independente da posição dos pilotos.

    Com a Mercedez mandando no campeonato de Construtores e Pilotos, por que não cuidar dos negocios e valorizar suas ações da Williams e dar destaque a seu piloto Valtteri Bottas ????
    $$$$$$$$$$

    • Nelson disse:

      Gostei dessa teoria da conspiração faz muito sentido parabéns.

    • Marcelo disse:

      Nos anos 50 não existia teoria de conspiração na Formula Um, era tudo no contrato, e sempre foi assim no esporte a motor. Luigui Fagioli ficou famoso por sua determinação e por seu temperamento explosivo. Em 1934 muito antes da F-1 existir, correndo uma prova pela Mercedes em pleno Nurburgring, recebeu ordens para ceder a vitória a um companheiro de equipe. Furioso, parou o carro na beira da estrada (a corrida era disputada em uma rodovia) e voltou para casa, deixando a equipe. Em 1951 Fagioli era companheiro de equipe de Fangio, e à altura do GP da França o argentino disputava o título com G. Farina. Durante a prova Fangio teve problemas com seu carro, e usando um artifício permitido pelo regulamento, a Alfa chamou Fagioli (líder da prova) para os boxes e entregou seu carro a Fangio(para Fagioli ceder é porque tinha algo no contrato). O argentino venceu a prova, mas de acordo com o regulamento, a vitória e os pontos foram repartidos com Fagioli. Bom lembrar, Fagioli entregou a liderança e terminou em 11º lugar. Era apenas a terceira prova do ano de um total de sete, ou seja, Fangio foi favorecido no início da temporada. Em 1956 Peter Collins chegou à ultima prova do campeonato em Monza numa posição em que poderia ser campeão do Mundo. Fangio liderava a corrida mas teve um problema na coluna de direção indo para os boxes. A equipe ordenou a Luigi Musso para que cedesse seu carro a Fangio, mas o italiano recusou. Contudo, o piloto argentino teve carro para prosseguir a corrida e alcançar o título. Carro cedido por… seu rival, Peter Collins. Como podem ver, a coisa era até pior que nos dias de hoje, Collins tinha chance de ser campeão, mas foi obrigado a favorecer Fangio. Mais tarde, quando a corrida terminou, Fangio celebrava o seu segundo lugar da corrida (vencida por Stirling Moss) e conseguia os pontos suficientes para ser campeão do mundo pela quarta vez. Perguntou-se a Collins o porquê deste gesto de aparente fair-play. A resposta foi simples, mas hilária:

      “Sou demasiado novo para ser Campeão do Mundo”

      Desculpa esfarrapada “sou demasiado novo para ser Campeão do Mundo”, Collins recebeu ordens para ceder o carro a Fangio. Luigi Musso recusou, mas Collins aceitou sem reclamar bem ao estilo capachão Berger, Coulthard, Barrichello ou Massa…

      Collins foi um “banana” essa que é a verdade, tinha chance de ser campeão, mas se rendeu aos caprichos do time que bajulava Fangio.

      Alguns vão lembrar que as corridas em “duplas” eram permitidas na década de 50. Ok, mas porque Fangio era sempre o favorecido? O argentino nunca cedia seu carro, sempre ele era o piloto que pegava carro emprestado. Em alguns casos, sequer o carro de Fangio quebrava, ele sentia que o carro não estava bem, parava nos boxes e pegava carro do companheiro que estava melhor(caso do líder Fagioli acima). Recentemente, S.Moss admitiu que foi segundo piloto na Mercedes em 1955, o primeiro era Fangio.

      Stirling Moss defende atitude de Massa:
      http://quatrorodas.abril.com.br/grid//noticias//sir-stirling-moss-defende-atitude-massa-778560.shtml

      “Eu só fiz uma exceção e para uma pessoa que foi (Juan Manuel) Fangio e por respeito”.

      Respeito nada, aguentou CALADO! Fangio já era bicampeão na F-1(51 e 54). Moss não tinha como exigir nada, essa que é a verdade. O inglês sequer tinha vencido na Formula Um, sua primeira vitória foi justamente em 55. Não tinha como Moss ‘peitar’ Fangio na Mercedes(caso idêntico foi ‘barrica’ na Ferrari em 2000). Mas essas coisas são bem comuns no mundial, basta lembrar do contrato de Peterson na Lotus em 78. Villeneuve estava na briga pelo título em 79, mas Enzo Ferrari acabou com sua festa em Monza, o título já tinha dono, era de Scheckter, e tinha que ser definido em Monza na frente dos italianos.

      Então o argentino foi favorecido em pelo menos três campeonatos que ganhou(51, 55 e 56). Oras, assim é fácil ser pentacampeão, por contrato o argentino mandava nas equipes. Evidente, por onde pilotou seu contrato era de primeiro piloto. Bom lembrar, Fangio era bancado pelo governo da Argentina, jamais ia ser capacho de ninguém! Recentemente, os contratos de Piquet e Senna na Lotus foram divulgados na internet., ficou provado que os brasileiros tinha privilégios em relação a Dumfries e Nakajima.

      Vamos aceitar o esporte Formula Um como ele sempre foi, tem piloto que exige, outros tem que aceitar os termos no contrato. Resta somente uma opção, responder na pista e andar na frente do companheiro, pelo menos colocar pressão, maioria se acomoda….

  2. nuno mata disse:

    José. O Rosberg também pontuou em todas as corridas até à data. Não foi só o Alonso e o Hülkenberg.

  3. Airton disse:

    Mais uma vez a equipe teve problemas com o Massa, mas valeu…

  4. Airton disse:

    O troféu era muito legal queria vê-lo nas mãos do Massa.

  5. Felipe disse:

    Hoje estou sentindo falta, no blog, do povo que mete o pau no Massa… povo que critica até quando ele consegue a pole!!! O resultado da corrida deve ter desmotivado os secadores e pessimistas. Vlw Massa!!!!

  6. Marcelo disse:

    Williams e seus pilotos estão de parabéns, 3º e 4º, só atrás das fantásticas Mercedes é um feito e tanto para um time que não tem os mesmos recursos das principais equipes. O time enfim mostrou desempenho forte tanto em classificação como corrida.

    “Ah, mas estão sacaneando Massa, Bottas esta sendo favorecido”.

    Bottas trocou câmbio na Austrália(tomou punição e perdeu 5 posições no grid). Na Malásia teve que acatar ordens de equipe e não atacar Massa(isso é ético ou só vale quando brasileiro esta a frente?). Na China, Bottas teve problemas de telemetria perdendo rendimento na prova. Em Mônaco quebrou o motor. No Canadá, Bottas também foi muito prejudicado na primeira parada de boxes, depois na parte final da corrida, o carro perdeu desempenho por causa do superaquecimento, acabou sendo orientado a levar o carro a bandeirada. Lembrando que, Nasr sempre pilotou o carro do finlandês. Vamos com calma, a Williams tem deixado os dois pilotos na mão…mas o contrato é bem claro, Bottas é segundo piloto(onde esta sendo favorecido?), mas nem por isso ele fica CHORAMINGANDO! O finlandês disse que realmente existem cláusulas no contrato, onde nada pode fazer…e se existisse carro “reserva”, Massa seria beneficiado!

    Quando é a vez do brasileiro fazer papel de número dois, haja saco pra aguentar tanta choradeira. Só que o “segundinho” na Williams no geral, esta botando o primeiro piloto no bolso…Só lembram que Valtteri é favorecido quando chega na frente, quando chega atrás ninguém fala nada. Torcedor brasileiro é péssimo perdedor, muito difícil reconhecer que o rival foi melhor…

    Pode ter certeza, se Hamilton larga na pole com a Williams de Massa, o inglês ia fazer várias voltas “voadoras” no começo da prova, a intenção? Abrir pelo menos 4 segundos do segundo colocado(mesmo que perca 2 segundos a mais nos boxes, volta a frente). Entenderam porque no passado Schumacher “abria” vários segundos antes da primeira parada? Se alguém errasse nos boxes, a fatura não estava perdida. O que me chamou atenção foi Hamilton botar pressão em Rosberg o tempo todo, isso largando em nono. Massa não conseguiu fazer o mesmo quando estava atrás do inglês, ou do companheiro de equipe.

    Bottas chegou na frente na Áustria, sem mimimi, Felipe vai ter sua chance de pódio. Desde o GP do Canadá o carro da Williams evoluiu muito em volta lançada e corrida. A pista pode ter ajudado, mas isso também acontece ao contrário, as duas RBRs não renderam o esperado na pista austríaca. Em final de semana bom, a Williams conseguiu no máximo dois 5º com Bottas. Bom lembrar, a equipe errou em duas paradas de boxes com Bottas e Massa no Canadá. O trabalho na Áustria foi muito bom, mas tem que manter o nível. Outra coisa que chamou atenção foi que a equipe esta liderando por algumas voltas(e sem depender de estratégia ousada, caso da Force Índia). As Williams andaram no mesmo ritmo das Mercedes, e isso é extremamente animador. Queda de performance no ERS muitas vezes é uma loteria, várias equipes estão sofrendo com isso. O brasileiro fez uma corrida muito boa, mas Bottas foi um pouco melhor, o que valeu um troféu. Williams sabia que ia ser muito difícil brigar pela vitória(mas Alonso, Lewis ou Vettel iam brigar por ela), a Mercedes ainda é o melhor carro do grid, tem Lewis que faz a diferença, tem Rosberg que é veloz, preciso e cerebral…o time raramente erra nas estratégias e trabalho de boxes. O alemão depois confessou: “Esse era o plano, fazer uma estratégia agressiva para superar a Williams e funcionou, foi muito inteligente. Mesmo largando em terceiro, sempre acreditei na vitória pois achava que teríamos um desgaste menor de pneus que as Williams”

    O time de Frank Williams pode até sonhar em brigar pela terceira posição no mundial de construtores, a Williams esta apenas 13 pontos da Ferrari, ela começou a reagir pra valer no GP do Canadá, vamos dar mais tempo para equipe e pilotos. Após oito provas em 2013, a Williams não tinha somado um único ponto, em 2014 já soma 85. No ano passado alguém lembra quantos pontos a Williams fez? Em 19 provas, Bottas só tinha somado 4 pontos, Maldonado apenas 1 ponto.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s