GP da Inglaterra – Análise da corrida

British Grand Prix, Silverstone 03-06 July 2014

Tivemos um belo espetáculo com esse 50º GP da Inglaterra, não? Belas disputas, batidas, safety-car, quebras, reclamações radiofônicas, enfim um belo espetáculo que trouxe Lewis Hamilton de volta à disputa pelo título, Vamos agora à nossa tradicional “análise equipe-por-equipe” da corrida!

MERCEDES: Mais uma vez os carros prateados definiram o ritmo da prova, Com Hamilton largando bem e logo superando os adversários para iniciar uma caçada a Nico Rosberg, que parecia em plenas condições de encarar a disputa vindoura. Só que ela não veio, já que o alemão abandonou com problemas no câmbio e assim Hamilton foi tranquilo rumo a vitória que lhe descontou 25 dos 29 pontos que o separavam do companheiro na disputa pelo título.

WILLIAMS: Felipe Massa sofreu com problemas na embreagem na primeira largada, o que o jogou de 15º para último e ainda foi apanhado na batida de Kimi Raikkonen e assim seu carro não pode relargar, jogando fora a oportunidade do que certamente seria bons pontos para ele. Bottas, entretanto, largou bem e chegou a nono até a interrupção da prova e depois foi escalando o pelotão até chegar em 2º e lá ficou parando apenas uma vez nos boxes num ótimo resultado para ele e para a Williams, que assume a 4ª posição na tabela de pontos e encosta na Ferrari

RED BULL: Em estratégia igual a de Bottas, Ricciardo chegou ao pódio acossado por Button e amplia ainda mais sua vantagem na pontuação para Vettel, que adotou uma estratégia diferente parando duas vezes e se viu numa renhida disputa nas pistas e no rádio com Fernando Alonso e sai da corrida atrás de Bottas na tabela de pontos.

McLAREN: Button fez uma ótima corrida dentro da realidade da sua equipe e encarando disputas e sendo rápido reafirmou a Ron Dennis o seu valor, num momento em que era publicamente cobrado pelo chefe. Magnussen, menos espetacular, acumulou seus pontinhos valiosos, de modo que já estão no limiar de ultrapassar a Force Índia na tabela mas mesmo assim a Hugo Boss, parceira desde 1981 da equipe anunciou que vai para a rival Mercedes em 2015…

ENG1

FERRARI: Com muita luta com Hulkenberg, Magnussen, Button e Vettel, Fernando Alonso chegou em 6º lugar. Perguntado sobre em qual posição chegaria sem a punição de 5 segundos (se posicionou mal no grid na primeira largada), respondeu “em sexto”. Perguntado em qual posição chegaria se tivesse largado na pole position, disse “em sexto”, mostrando qual é a realidade da equipe italiana, que já pensa em 2015. Raikkonen nem completou a primeira volta, pois depois de largar bem perdeu o controle do carro numa escapada e bateu forte nesse que vem sendo um péssimo ano para o finlandês.

FORCE ÍNDIA: A equipe indiana vem perdendo força a cada etapa e o que parecia ser sua melhor temporada da história aproxima-se de apenas mais um ano chegando em sexto na tabela, apesar dos esforços de seus dois talentosos pilotos. Hulkenberg, entretanto, segue ao lado de Alonso sendo o único que pontuou em todas as etapas do ano. Se a equipe não mostrar alguma evolução na Alemanha, será superada pela McLaren como já foi pela Williams, sendo que tinha boa vantagem sobre as duas poucos meses atrás.

TORO ROSSO: Chegar com seus dois carros na zona de pontuação foi um grande resultado para equipe, que mantém uma disputa com a Lotus pela sétima colocação na tabela e agora respira um tiquinho mais aliviada.

ENG2LOTUS: Maldonado se envolveu em mais uma confusão, dessa vez foi abalroado por Esteban Gutierrez numa disputa de posições e continuou na corrida para abandonar poucas voltas depois em mais uma etapa que zerou na pontuação. Grosjean, por sua vez, chegou ao fim, mas não pontuou também, reafirmando a má fase da equipe que deve anunciar em breve a troca para os motores Mercedes para o próximo ano.

SAUBER: Mais uma corrida apagada e sem pontos nessa que é nitidamente a pior temporada da história da equipe. Gutierrez tentava disputar com Maldonado mas errou o pronto de freada e ainda foi fechado, acertando o venezuelano e sendo punido com a perda de 3 posições no próximo grid. Sutil largou razoavelmente bem mas depois a realidade imperou e foi sendo passado por todos os carros mais rápidos, só ficando à frente das nanicas. Triste mesmo.

MARUSSIA e CATERHAM: Mais do mesmo: figuração de luxo, mesmo com Jules Bianchi largando bem mais à frente do usual e chegando à frente de Kamui Kobayashi e seu companheiro Max Chilton, que quase foi acertado por um pneu solto na batida de Kimi (foto abaixo). Já Marcus Ericsson abandonou com a suspensão quebrada, na certa após acertar uma zebra com mais afinco.

ENG3

 

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1TAB

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

3 respostas para GP da Inglaterra – Análise da corrida

  1. Pingback: Bianchi substitui Raikkonen em teste da Ferrari | José Inacio

  2. Pingback: O triunfo de Montoya | José Inacio

  3. Pingback: Barrichello tira “selfie” num F1 a 200 por hora! | José Inacio

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s