GP da Rússia – Análise da corrida

RUS1E assim nasce mais um Grande Prêmio de Fórmula 1, o GP da Rússia. Apesar da poderosa presença de Putin e da bela imagem dos pilotos reunidos no grid por Bianchi antes da largada, a verdade é que a corrida foi bem chata, com as Mercedes sobrando mais uma vez… Vamos agora à nossa análise “equipe-por-equipe” dessa importante etapa do campeonato.

MERCEDES: A equipe alemã sobrou na pista. Hamilton aproveitou-se do erro primário de seu companheiro na segunda curva e abriu larga vantagem e não foi ameaçado até o final da prova. Rosberg caiu para penúltimo com a troca de pneus na segunda volta e escalou o pelotão até voltar ao segundo lugar, ficando impressionantes de 52 voltas com o mesmo jogo de pneus e virando ótimos tempos até o fim, dando a dimensão da superioridade de seu carro e dua própria capacidade de administrar a corrida e garantiram o primeiro título para a equipe da estrela! Hamilton abriu 17 pontos e parece cada vez mais campeão, mas basta um problema mecânico para essa gangorra virar.

RUS2WILLIAMS: Bottas continua a comprovar seu talento ao ser “o melhor do resto”, também sem ser ameaçado pelas McLaren que vinham atrás. Massa teve a corrida prejudicada a partir do momento que teve que largar lá de trás por problemas em sua bomba de combustível, mas mesmo com a estratégia duvidosa de 2 paradas, com o bom carro que tem passou a sensação de que não passar Perez e sequer chegar na zona de pontos não é um resultado aceitável. Com isso Bottas já tem mais do que o dobro de seus pontos.

McLAREN: Essa foi a melhor corrida da equipe inglesa desde o pódio na Austrália. Button foi muito constante e Magnussen fez grande prova de recuperação, mas somente no Texas vamos saber ao certo se de fato a equipe deu um salto evolutivo ou se foi o peculiar asfalto pouco abrasivo da pista russa e pneus que não se desgastavam que ocasionou um bom resultado isolado. O fato é que essa pontuação robusta finalmente lhes permitiu passar com alguma margem de conforto a Force Índia, agora 20 pontos atrás na tabela;

Formula One World Championship 2014, Round 16, Russian Grand PrixFERRARI: Uma prova discretíssima dos italianos, que mesmo com Alonso e Kimi ainda motivados com o carro deficiente, só conseguiram 10 pontos minguados e viram a Williams se distanciar ainda mais na tabela e o 3º lugar que era “uma questão de honra” para a equipe vai ficando cada vez mais distante. Já estão 28 atrás…

RED BULL: Assim como a McLaren se deu bem, a Red Bull se deu mal, tanto com Ricciardo como com Vettel. Em Austin saberemos, assim como na McLaren, se foram as caracterísiticas da pista pista russa que causaram essa distorção (no que acredito mais) ou se houve mesmo uma pequena mudança no jogo de forças da equipe

FORCE ÍNDIA: Os indianos vinham se mantendo, sempre aos trancos e solavancos, à frente da McLaren, mas agora, o caldo entornou bonito. Só que tirar esses 20 pontos com um carro que visivelmente não evolui faz tempo e agora raramente passa ao Q3, será uma tarefa das mais improváveis…

Formula One World Championship 2014, Round 16, Russian Grand PrixTORO ROSSO: A equipe parecia ter uma boa prova à frente, com Kvyat se classificando bem e Vergne fazendo uma ótima largada e com bons pontos na alça de mira, mas ambos tiveram seus bons ritmos prejudicados pelo consumo excessivo de combustível, o que lhes obrigou a aliviar – e muito – o ritmo de corrida, permitindo a ascensão dos rivais.

SAUBER: Continuam fora da vital zona de pontos, mostrando que o carro desse ano realmente é ruim em qualquer condição ou pista. Gutierrez ainda arriscou uma parada tardia, mas que em nada de melhor resultou. Sutil foi tocado por Grosjean e rodou, mas também não mudou nada no panorama de sua corrida. Esse ano é pra esquecer. Ou melhor, para não esquecer e garantir que não se repita.

Mercedes Formula One team members spray champagne after winning the 2014 constructors World Championship at the first Russian Grand Prix in SochiLOTUS: A pior equipe estruturada do grid, agora ficando sistematicamente atrás da Sauber, está claro que estão cumprindo tabela apostando no carro de 2015 que usará os motores Mercedes. Maldonado nem apareceu na TV e Grosjean causou a rodada de Sutil, num lance evitável, mas nada terrível.

CATERHAM e MARUSSIA: Chilton logo abandonou a corrida com problemas de aquecimento, Kobayashi abandonou aparentemente para poupar equipamento – a equipe não teria mais peças de reposição – e assim coube a Ericcson terminar pelos nanicos e marcar uma volta melhor que as da dupla da Lotus.

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1

TAB

TABpontos

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para GP da Rússia – Análise da corrida

  1. jcobarbosa disse:

    Que medo/fraqueza é essa do Massa/Williams a não usar de uma estratégia normal?

    Ao meu ver, a posição de chegada dele teria sido melhor, se ele corresse de verdade, com a mesma estratégia dos demais.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s