Todos os vencedores da história da Fórmula 1

Mais de uma vez me perguntaram no Twitter, no Facebook ou pessoalmente quem seriam todos os pilotos que já venceram na Fórmula 1. Assim, resolvi trazer aqui essa tabela com o ranking com aqueles que já estiveram no degrau mais alto do pódio. Os nomes em negrito são de pilotos que também se tornaram campeões e os nomes que estão num quadrado cor de salmão são dos pilotos ainda em atividade na categoria:

Curta nossa página no FACEBOOK e siga-me no TWITTER @inacioF1

vencedores

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Todos os vencedores da história da Fórmula 1

  1. Fabio disse:

    Ta aíh a mostra do porque Schumacher é de longe o maior de todos os tempos !!!

    • Fábio disse:

      Fabio, você está equivocado na análise, pois nela não considera a quantidade de GP´s por temporada na Fórmula 1. Na época do FANGIO, por exemplo, eram 5 os GPS por temporada. Hoje são 20. A tendência é o recorde do SCHUMI ser batido com certa facilidade.

      • Marcelo disse:

        Quando Senna bateu o recorde de poles de Clark, ninguém apareceu para considera a quantidade de GP´s por temporada na Fórmula 1. O que vale para o Chico, serve também para o Francisco. Então, ninguém bateu o recorde de pontos de Schumacher na F-1. Pela pontuação atual, só de vitórias o alemão teria 2.275 pontos.

        Chegar as 91 vitórias vai ser “fácil”, quero ver algum piloto fazer na mesma proporção que Schumacher.

        Por número de vitórias, 91.
        Intervalo entre a primeira e a última vitória, 238 provas.
        Vitórias em um ano, 13 em 18 provas.
        Venceu em 15 anos consecutivos, de 1992 a 2006.

        Por Grande Prêmio:
        8- França
        7- Canadá
        7- San Marino
        6- Bélgica
        6- Espanha
        6- Japão
        6- Europa
        5- Mônaco
        5- USA
        5- Itália
        4- Brasil
        4- Austrália
        4- Hungria
        4- Alemanha

        Chega, cansei…três por país(na era moderna da F-1), não serve como parâmetro, muitos conseguiram.

        Por Grande Prêmio diferente, 22
        Por circuito diferente, 23

        Agora imaginem fazer tudo isso vencendo Títulos, Poles, Pódios, M. voltas, Voltas na liderança, Hat Trick, Largada na primeira fila, Pódios por temporada, Vitórias por temporada, Pole e vitória, Vitória e melhor volta, etc…

        Me mostre um piloto que foi campeão em épocas tão diferentes como Schumacher…o mais próximo é Lauda com os títulos de 75 e 84. Lembrando que, Schumacher “construiu” todos seus títulos(não pegou nada pronto). Quando entrou na Benetton, o time não botava respeito e ninguém, mesmo caso foi na Ferrari(essa coitada, era motivo de chacota). Alonso ficou cinco temporadas na Ferrari, não conseguiu nenhum título. Schumacher com perna quebrada em 99, ajudou a garantir o título de construtores. Não se pode comparar Formula Um entre décadas, muito menos, os feitos dos pilotos. Se for assim, ninguém chega perto de Bernd Rosemeyer(alemão), Rudolf Caracciola(alemão), Hans Stuck(alemão) e Tazio Nuvolari(italiano). Para se ter uma ideia, Nuvolari chegou a correr sem volante, e até com os braços engessados em cima de uma moto! Esse italiano tem mais de 100 vitória em duas e quatro rodas.

        Tazio Nuvolari chegando aos boxes sem o volante:
        http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQtadxMUL_VnkDdJYb4ht4bfLbWkQI18MuvdD7bBR7Q8w0i1ltVNw

        Infelizmente não achei Nuvolari com os braços engessados na moto, mas ela existe, vi uma vez na internet

        Tazio começou a competir em motos aos 28 anos, logo foi contratado pela equipe Bianchi. Seria campeão Italiano, mas nos treinos do GP de Monza sofreu um acidente que resultou em dois braços quebrados. Após terem engessado os braços, os médicos lhe aconselharam a deixar as corridas de moto. No dia seguinte entrou na corrida amarrado a sua moto, pediu aos mecânicos que o segurassem na largada e o agarrassem na chegada.

        Detalhe, naquela época, muitas corridas duravam cerca de quatro horas. E na hora de receber o prêmio, olha o tamanho do troféu:

        Tem a história que numa corrida, próximo a uma curva, Nuvolari(Vida-Loka) virou-se para ver quem estava atrás. Entrou na curva olhando para trás, sem perder o rumo.

        Nuvolari também atropelou um veado em Donington em 1938. Não há fotos, mas fizeram uma ilustração meio dramática. O carro do desenho abaixo está errado, era outro em 1938, mas vale pela curiosidade.

        Se procuram o “melhor de todos os tempos”…tem que começar desde o começou!!! Esse trio formado por: Rosemeyer, Caracciola e Nuvolari deixa os pilotos da Formula Um(por década ), no chinelo! E o que dizer das pistas naquela época?

        Temida e Lendária pista de Avus

        Vamos fazer um paralelo, porque os grandes pilotos do mundial da motovelocidade(já na década de 70), começaram a recusar correr no TT da Ilha de Man? A lista abaixo responde…em 2005 nove pilotos morreram nesse evento, em 2014 foram cinco acidentes fatais.

        List of Snaefell Mountain Course fatal accidents
        http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Snaefell_Mountain_Course_fatal_accidents

        Autódromos só começaram a existir porque antes da Formula Um, pilotos perdiam vidas aos montes…

  2. Rogério Bentz disse:

    Dados interessantes, mais faltou o número de GPS disputados, para ver o aproveitamento de cada piloto, é a mesma coisa que falar que o Schumacher tem mais pontos, é óbvio, na época de Senna e Prost a vitória valia 9 pontos e corriam 12 provas por temporada!!!!

  3. Rogério Bentz disse:

    A F1 só pode ser comparada por décadas, o Emerson Fittipaldi ganhou menos da metade das vitórias do Hamilton e também foi bi campeão, a quantidade de GPS também era menor e os pontos!!!

    • Marcelo disse:

      Pode se comparar pilotos por épocas separada, poucos entraram para a história como os grandes da Formula Um.

      Fangio foi disparado o melhor em sua época(nunca teve um único rival a altura, quando apareceu em 55, por contrato, virou capachão). Depois vieram Bhabham, Clark e Hill. Em seguida apareceram Stewart, Fittipaldi e Lauda.

      Na “era moderna” da F-1 surgiram Piquet, Prost e Senna. Em seguida Schumacher e Hakkinen.

      Bom lembrar, os grandes se alternavam com outros campeões de menor destaque. Farina, Ascari, Hawthorn, Phil Hill, Surtees, Hulme, Rindt, Hunt, Andretti, Scheckter, Jones, Rosberg, Mansell, D.Hill, Villeneuve e Button.

      Assim como Fangio, Schumacher dominava no início dos anos 2000. Mas tem um detalhe, o alemão bateu um bicampeão que estava em alta na época, Hakkinen. Fangio nunca bateu um campeão diretamente por títulos. Outro detalhe, nos anos 50, piloto não ajudava organizar equipe e desenvolver o carro. Os bólidos vinham prontos de fábrica, sequer existiam treinos na Formula 1. Já Schumacher, pegou dois times em baixa e chegou aos títulos. Cada piloto teve sua época, seu momento, dessa turma ninguém pode ser minimizado, todos fizeram história no esporte a motor…

      Uma nova geração de pilotos “fora de série” surgia com Alonso, Raikkonen, Hamilton e Vettel.

      • Marcelo disse:

        S.Moss admitiu que foi segundo piloto na Mercedes em 1955…

        Stirling Moss defende atitude de Massa:
        http://quatrorodas.abril.com.br/grid//noticias//sir-stirling-moss-defende-atitude-massa-778560.shtml

        “Eu só fiz uma exceção e para uma pessoa que foi (Juan Manuel) Fangio e por respeito”.

        Respeito nada, pra pilotar aquele foguete alemão teve que aguentar calado! Fangio já era bicampeão com os títulos de 51 e 54. Moss não tinha como exigir nada, o inglês sequer tinha vencido na Formula Um, sua primeira vitória foi justamente em 55. Não tinha como Moss ‘peitar’ Fangio na Mercedes(caso idêntico foi ‘barrica’ na Ferrari em 2000). Sem dramas, isso sempre foi comum na F-1, basta lembrar o contrato de Peterson na Lotus em 78, e Villeneuve na Ferrari em 79. Na Lotus ficou bem claro, por contrato, Peterson não podia chegar a frente de Andretti em disputa por título. As chances de Villeneuve acabaram em Monza, Enzo Ferrari em pessoa disparou na cara de Gilles, aquele título de 79 já tinha dono, era de Scheckter. E tinha que ser definido em Monza, na frente dos torcedores italianos.

        Poucos sabem, por contrato, Fangio foi favorecido em pelo menos três campeonatos que ganhou 51, 55 e 56.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s