Red Bull, a mimada

redBastou mais um resultado de corrida medíocre para a equipe voltar com sua velha cantilena: “pode abandonar a Fórmula 1”. Esse comportamento da Red Bull evidencia como eles parecem não ter interesse ou vínculo real com a categoria, mas apenas com o sucesso.

Curta nossa página no FACEBOOK e siga-me no TWITTER @inacioF1

Quer dizer que quando acabam as disputas por vitórias e consequente menções positivas na mídia, acaba também o interesse dela na categoria? Parece o caso, mesmo eles recebendo uma bolada de Bernie Ecclestone só para estar lá, independente dos resultados na pista. O que equipe esquece é que a Fórmula 1 é feita de ciclos e nenhuma, repito, nenhum equipe fica no topo eternamente e por mais surpreendente que pareça, pelo visto eles não aprenderam isso.

Um dos grandes culpados disso é sem dúvida o motor Renault, que quando não quebra também não exibe grande performance, mas o carro também não é essa maravilha toda como Daniel Ricciardo mesmo já disse em entrevistas e como a ascensão da Toro Rosso, com um orçamento sensivelmente menor e que vez ou outra eclipsa a matriz, reforça. Mas sobre motor, ok, ele está devendo para a concorrência, mas daí a sair em público esculhambando sua parceira que por anos lhes garantiu 50 vitórias e 4 títulos mundiais não justo nem lá muito educado.

RB1

O RB1, primeiro carro da equipe, em 2005

Muitas equipes já se viram atreladas a motores problemáticos e ou mesmo atravessaram longas fases ruins mas não ameaçaram sair da categoria, o que nos trás de volta à grande questão: Ao contrário de Williams, McLaren, Ferrari, Sauber etc, a Red Bull não é uma equipe de Fórmula 1 de verdade, mas sim uma grande ferramenta de marketing de uma fábrica cujo interesse principal é a bombar a venda de energéticos, não fazer carros de corrida. A partir do momento que essa ferramenta para de dar resultados, passa a ser descartável.

A Red Bull faz bem ao automobilismo como um todo, já que atua em diversas categorias mundo afora e financia muito pilotos, mas a verdade é que ela pode sim ir embora da Fórmula 1 ou qualquer outra pois a vida dos seus donos e da maioria dos seus mais de 10 mil funcionários mundo a fora não depende da Fórmula 1 e eles jogam claramente isso na cara de todos com essas recorrentes ameaças de sair.

Já passou da hora deles exibirem mais maturidade em lidar com essa má fase, seja respeitando mais a história da Renault, seja buscando formas mais elegantes de romper com ela e correr atrás do apoio da Audi para uma futura parceria. Por fim me parece claro também que precisam rever seu compromisso com a Fórmula 1 como esporte, pois dizem adorá-la mas às vezes a tratam como biscate. E mais: Se não for bravata e a Red Bull quiser mesmo ir embora da categoria, será uma pena, mas que se vá, a Fórmula 1 e seus fãs também não dependem dela e já perderam equipes mais importantes.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Red Bull, a mimada

  1. Philip disse:

    Se não me engano eles tem “contrato de concórdia” ate 2022 nao é ?

  2. Fernando Fávero disse:

    Baita texto, se quiser ir, que vá!

  3. Diego venom disse:

    Gente uma equipe que foi 4 vezes campeã de construtores sair assim…é não ter mesmo noção para as coisas

  4. guina disse:

    José Inácio,Seu texto é tão completo que não nos deixa nenhum espaço pra reinteirar nada. Nos resta apenas elogia-lo mais uma vez. FORA RED BULL…

  5. diogo lima disse:

    Fazer oque! va um eq venha outro …

  6. Sergio Borges disse:

    Eu até concordo com o texto,mas como tudo na vida em termos de história,ela tem dois lados.Analisando pelo mesmo seguimento,o energético TNT tem seu nome estampado na Ferrari,mas não é o nome dela que esta em jogo como time,ela pode permanecer lá como pode mudar,bem ao contrario da Red Bull que leva o próprio nome além do slogan “Te dá Asas” (give your wings) na mídia,em suas roupas,em várias categorias esportivas,além de investimento em autódromo e categorias de base e time B.É muito simples analisar pontos que ferem os interesses empresariais quando não temos ações próprias na bolsa em jogo.Como dito acima e sabemos, nenhum time reina absoluto por muito tempo,e já a algum tempos não há muita competitividade.Então talvez o Sr.Bernie tenha que rever conceitos e achar uma “fórmula para equiparar a todos,porque quem investe,quer retorno :

  7. Luiz Fernando Napolitano disse:

    Os textos do José Inácio são sempre sensacionais, muito bem escritos !

  8. robertolmrodrigues disse:

    Pelo que é entendi das declarações da Red Bull Racing (RBR) não tem nenhuma relação com a Renault a saída da f1 e sim a importância da unidade de potência no conjunto e a falta de interesse da RBR em montar uma fábrica de umidade de potência. Acho muito coerente, pois eles avaliam que o investimento nesse campo é muito alto para o retorno e realmente isso faz mais sentido para os fabricantes e coloca as equipes que não tem uma relação direta com as fabricantes coadjuvantes. O atual campeonato é entre, Mercedes, Ferrari, Honda e Renault, algo que ao meu ver só vai diminuir cada vez mais a disputa no grid, como tem ocorrido.

  9. Danilo Silva disse:

    deixa os cara ameaçar…. são aprendizes na arte ainda… Enzo Ferrari e Luca de Montezamolo cansaram de fazer isso também (até carro pra Indy 500 o Enzo fez)…

  10. Anônimo disse:

    RedBull já participou da Indycar pela parceria com Chever Racing e também patrocinando pilotos como Buddy Rice, vencedor da Indy 500 em 2004, mas tão logo enxergando um melhor horizonte se mudou de “mala-e-cuia” para a Nascar em 2006 e la permaneceu sem resultados expressivos alem de um “Chase” 2009 o que acabou culminando em sua saída da categoria no fim de 2011. Por esta análise é sim possível dizer que a F-1 pode mais “Um amor que passou em minha vida” para a o “Touro Vermelho”, Eles já conseguiram todo o sucesso e publicidade que precisavam e a F-1 não é mais o melhor produto do mundo pra se vender uma imagem.

  11. Eric Santos disse:

    RedBull já participou da Indycar em parceria com Chever Racing e também patrocinando pilotos como Buddy Rice, vencedor da Indy 500 em 2004, mas tão logo enxergando um melhor horizonte se mudou de “mala-e-cuia” para a Nascar Cup em 2006 e la permaneceu sem resultados expressivos alem de um “Chase” 2009 o que acabou culminando em sua saída da categoria no fim de 2011. Por esta análise é sim possível dizer que a F-1 pode ser mais “Um amor que passou em minha vida” para a o “Touro Vermelho”. Eles já conseguiram todo o sucesso e publicidade que precisavam e a F-1 não é mais o melhor produto do mundo pra se vender uma imagem.

  12. Carlos Oliveira disse:

    Me lembrei de uma certa entrevista dada a um tempo atrás por Lewis Hamilton em relação ao sucesso da Red Bull, segundo ele, equipes como a RedBull não tinham ainda o DNA de uma equipe do Formula 1 como Ferrari, Mclaren e Willians, e o único interesse da Red Bull era porque com o sucesso do seus carros, sua marca estaria sempre em constante evidência.
    Muita gente criticou, mas fazendo uma comparação com o texto do Inácio, acredito que Hamilton estava certo.

  13. Thomaz disse:

    Velho, falou tudo ! Bernie Ecclestone só tem paciencia na Proporção do Dinheiro dos Donos das Equipes, prova disso é o Escarnio que ele fez com Caterham , Marussia e HRT-Hispania … mesmo tendo seus problemas, e todos os defeitos, eram equipes como outras, e deram oportunidade a muitos pilotos, e milhares de funcionários…. parece até as bravatas do Dana White no UFC na epoca do Sonen kkkkkk
    Parabens Inacio, sempre escrevendo muito bem !
    F1 pra mim, praticante morreu nesses ultimos anos…. estive em 2011 em interlagos..
    Perdi o Tesao com tanta palhaçada, e cada vez menos, vemos o Esporte de Fato.. e sim artemanhas p alterar quem vence, e quem perde nos anos…..

  14. Denis Lima disse:

    Sinceramente nunca fui fã da red bull e agora sou menos ainda pq apesar de serem uma equipe grande se apequeninam ameaçando sair da F1 na primeira crise que passam ao invés de tentarem dar a volta por cima como uma verdadeira equipe grande de F1 faz um bom exemplo vem da Willians que deu a volta por cima e apesar de não estar vencendo pra mim já é vencedora pela evolução dos dois últimos anos e tbm da McLaren que por enquanto vem sofrendo com a adaptação da Honda na categoria mais que eu não tenho dúvida que no mais tardar ano que vem já vai estar disputando vitórias novamente

  15. Loreno Menegotto disse:

    Cara, onde foi tirada essa foto? Contei 8 RedBulls… deve ter uma historia bem interessante.

  16. Jorge disse:

    Parabéns pelo texto principalmente quando falou da relação com a renault que tantas vitorias proporcionou a rbr

  17. Marcos disse:

    O motor Renault sempre foi fraco neste tipo de regulamento, onde requer muito dinheiro, na era turbo eles gastavam muito pouco (por pressão do sindicato, na época a Renault era uma empresa estatal) com a vinda dos aspirados, um motor de baixo custo, eles fizeram um bom trabalho e escolheram a melhor equipe da época a Williams uma equipe cheia de eletrônica e com Adrian Newey, resultado muitas vitórias. Depois RBR e Newey também mais vitórias. Agora em 2014 mudou o regulamento e o custo do motor foi lá para cima, com este orçamento que Renault usa eles não tem como ser competitivos. Parece que eles melhoram muito o orçamento para 2015…

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s