Vettel: “Não imagino como alguém consegue acompanhar a F1”

vettelSebastian Vettel foi bastante contundente ao externar sua preocupação com os caminhos que a Fórmula 1 tomou e disse numa entrevista ao jornal alemão SportBild que a categoria está muito complicada: “Não imagino como alguém consegue acompanhar a Fórmula 1 sem estar envolvido sete dias por semana como eu estou.”

Curta nossa página no FACEBOOK e siga-me no TWITTER:@inacioF1

Para ele um bom indicativo do distanciamento da categoria de seus fãs é o publico presente nas corridas“O melhor indicador são os espectadores na pista, podemos ver que os números não são mais altos como eram” e coloca o dedo na ferida de Bernie Ecclestone “Os preços dos ingressos estão muito altos. Como uma família normal poderia bancar o custo de ir a um autódromo hoje em dia?”

Mas o alemão esclarece que continua fã da categoria e ainda palpita sobre o que precisaria ser feito para melhorar o espetáculo sob o ponto de vista das corridas em si “A Fórmula 1 precisa fazer os carros serem rápidos novamente, seja por mais potência, pressão aerodinâmica ou pneus melhores. Domar esses carros precisa ser um desafio de novo, para separar o joio do trigo” diz, acreditando que numa Fórmula 1 mais extrema os pilotos de maior talento acabariam se sobressaindo novamente.

Eu concordo com tudo o que ele disse, mas e você, concorda com as críticas e ideias do tetracampeão?

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

41 respostas para Vettel: “Não imagino como alguém consegue acompanhar a F1”

  1. Alessandro Tavares disse:

    Falou tudo. Acompanho a F1 a anos, mas confesso que a cada dia mais difícil assistir as corridas inteiras.

  2. Davi Palmieri disse:

    525,00 reais o ingresso mais barato no GP do Brasil, difícil acompanhar mesmo.

  3. Paulo Roberto disse:

    Assisto a F1 desde os anos 80 e ao meu ponto de vista, não podemos generalizar essa questão, pois qdo se trata da paixão por velocidade, a F1 não deixa a desejar. Basta verificar q no último gp a velocidade máxima passou dos 340km/h. Claro que para nós brasileiros falta um ídolo, sofremos com a estiagem de talentos! Nos resta aguardar até onde consegue chegar o nosso Felipe da Sauber.

    • Julio disse:

      Desculpa, mas esta deixando. Só velocidade não atrai nenhum publico, até por que existem hoje carros mais rapidos para ver do que F1, ou até Motos.

      • A questão não é só a velocidade, é o equilíbrio entre as equipes…os limites de suspensão..asas..e pneus fazem grande diferença numa disputa. Pilotos podem ser mais competitivos com seus acertos para cada corrida..pista..curva..enfim, e claro que a soberba e arrogância de seu diretor onipotente estão estragando a categoria.

  4. Anônimo disse:

    GOSTO MUITO DE F1 MAIS ESTA UM SACO ASSISTIR HOJE EM DIA, COMO PODE A PRINCIPAL CATEGORIA DO AUTOMOBILISMO TER SO UMA EQUIPE GANHANDO JÁ SE VÃO SEIS ANOS SEMPRE NA MESMA. RBR AGORA MERCEDES QUAL SERA A PROXIMA.

    • César Mota disse:

      Concordo com você, mas em 1988 a McLaren-Honda venceu 15 das 16 corridas da temporada e o nosso Ayrton Senna sagrou-se campeão, já em 1989 foram 10 de 16 corridas com o titulo de Prost que para muitos foi roubado de Senna. E outras temporadas com sobra da Williams-Renault em 1992, e as 15 vitorias da Ferrari em 17 corridas no ano de 2002.

  5. Emerson Asato disse:

    Receita para melhorar a f1: carros mais velozes e barulhentos, ingressos por volta de r$100,00, visitação de boxes.

  6. Anônimo disse:

    A F1 hoje e chata. Carros feios e lentos. O ronco dos motores nao e tão atrativo. E tambem muito restritiva para os engenheiros. Queria ver carros maiores com um limite de peso superior para nao sacrificar os pilotos mais pesados, motores. V10 Maiores enfim carros de corrida tem de ser sempre o mais rapido possivel. Sem essa de onda verde!

  7. Guilherme da Silva Rodrigues disse:

    Concordo com tudo que ele disse, pois os carros não chamam mais atenção pois não são rápidos com antes, sinto falta do barulho dos V10 ou dos V8 de carros que eram diferentes e não engessados e muito parecidos por causa do regulamento. As limitações impostas e os custos elevados estão deixando a F1 muito chata nos levando ao um maior interesse na Indy onde a muitas ultrapassagens carros lindos e muita velocidade! E mesmo assim muito mais barata.

  8. Alírio Sutanis disse:

    Falou e disse esta mesmo muito ruim a F1 a alguns anos mesmo.

  9. Cícero Pimentel Junior disse:

    Concordo com tudo que o Vettel disse, os valores para se assistir um GP de F1 são abusivos, a corrida com raras exceções são mornas, atualmente só a largada é interessante.

  10. Kairo Beduti disse:

    Concordo e acrescentaria o retorno de alguns circuitos: Imola, Portugal, Alemanha, Indianápolis entre outros

  11. Daniel disse:

    Tem q colocar os circuitos classicos d volta melhorar o show antes das grandes corridas transmissão do jeito das emissora pra niguem gritar pedindo a fom pra mostrar o felipe massa ultrapassando motores mais barulhentos mas os hibridos pras montadoras não encher o saco acabar com o grupo de estrategia conseguir trazer audi bmw e mais outras montadoras grids cheios fim do drs volta do kers como era 2012 onde nas seis primeiras corridas seis pilotos diferentes venceram cores dos carros diferentes acho q assim ficaria bom

  12. Chassis e motores idênticos….v-10…pneus enormes…e menos arrasto aerodinâmico. O pau voltaria a comer solto!!

  13. GEcKoDriver disse:

    Como Vettel mesmo disse em uma entrevista “é preciso introduzir novamente o fator medo nos pilotos! (referindo-se à velocidade dos atuais bólidos). Realmente. A largada do GP do Canada parecia um replay em camera lenta. Concordo com tudo que ele disse.

  14. Anônimo disse:

    Concordo. Tá chato mesmo. As categorias de simuladores de formula estao muito mais interessantes. Uma ideia q eu tive foi tirar o DRS pra ultrapassar…seria soh pra chegar no piloto. Passar é no braço. Uma vez q chega abaixo de 1s, fica ate ridiculo a ultrapassagem. De repente motores iguais, liberação de desenvolvimento do carro e distribuição de renda iguais tb.

    Pra começar mesmo, tem q tirar o Bernie. Ele parou a F1.

  15. Tive a chance de ir ao GP do Canadá, minha primeira corrida internacional. Claro que, por este motivo, posso dizer que a categoria ainda me move e comove, como intitulei em meu resumo do GP. Mas confesso que, friamente analisando, a Fórmula 1 está longe de ser o que me aproximou dela no final dos anos 70 e por todos os 80. É até um paradoxo porque era ela a fonte de desenvolvimento de tecnologia e, hoje, devido a essa mesma tecnologia embarcada, os próprios GPs se tornaram monótonos. Carros não quebram , pilotos não erram, e quando o fazem, voltam pela área de escape de anos-luz de distância. Não podem duelar, pois são passíveis de multas e punições. Não podem falar, pois são também penalizados por contratos que o tornam robôs de fala previsível. Não podem ser tocados. O carro não impõe mais o medo, como o próprio Vettel se referiu há poucos dias. As categorias de acesso não premiam o campeão com uma vaga certa para a temporada seguinte. Os patrocínios são cada vez mais raros.
    Algo que poderia ser usado no Brasil, desde que o preço do ingresso não fosse abusivo, é o que tive a oportunidade de usufruir em Montreal, ou seja, comprei um pacote onde o ingresso era para os três dias, mas cada um deles em um lugar diferente do circuito. Achei isso fantástico.
    A tecnologia precisa ser melhor avaliada para não termos carros que freiam como nunca e que inibem a ultrapassagem. Antes, a freada era que determinava o mais capacitado. Hoje, é uma asa móvel, uma vantagem artificial, quase apelativa.
    Ainda assim é legal. Claro!
    Mas e o monopólio da Mercedes, ajuda ou atrapalha? Quase sempre foi assim, só para citar os últimos 30 anos, tivemos McLaren, Williams, Ferrari, Brawn, Red Bull e a própria Mercedes, fazendo um ou dois anos de domínio pleno. Portando, é natural que alguém tenha um projeto melhor, mas também deve ser natural que os demais possam evoluir dentro de certos parâmetros técnico-financeiros.
    Falta carisma, falta também uma propaganda mais efetiva, e falta a renovação do público. Pude ver pelo meu filho, de nove anos, primeira vez em um autódromo. Eu falava: “escute os “monstros” lá de dentro (da pista)”, e ele respondia: “hã?”. Ficou um pouco incomodado com o ronco dos motores, mas não sentiu o peito tremendo a cada passagem porque isso não tem mais. Torceu um pouco, mais do que o número de ultrapassagens que viu, e olha que estávamos na curva do Senna, ponto de ultrapassagem certo.
    A única coisa que acho que não podemos confundir é a idolatria que tivemos no passado a Senna e Piquet, por exemplo, com a ausência de brasileiros em condição de disputar um pódio sequer. No Brasil, em específico, a morte de Senna e a falta de sequencia de um piloto que pudesse manter a atenção do público foi fatal para a queda de popularidade. Mas, mundialmente, isso também vem ocorrendo, por consequência de tudo que estamos vendo.
    Um abraço.

  16. Anônimo disse:

    se a F1 ficar mais difícil de se guiar, o Vettel vai andar no pelotão do meio, mesmo com o melhor carro… a opinião dele é um tiro no pé… hehehe

  17. Criatian disse:

    Vettel tacando dedo na ferida, isso é muito bom,eu sempre tive vontade de assistir uma corrida ao vivo,mais os preços são altíssimos,e pagar caro pra ver 2 carros sumindo na frente convenhamos que não é um bom negócio, eu não tenho a mínima ideia do que poderia ser feito pra deixar as corridas mais competitivas,mais di jeito que ta vai ficar difícil acompanhar os anos que virão.

  18. Rodrigo disse:

    Alemão culhasudo

  19. Anônimo disse:

    O que falta também são grids que possam proporcionar mais ultrapassgens o que faz com que a corrida seja mais emocionante.

  20. Anônimo disse:

    Eu não concordo que maior velocidade dos carros tornaria a F1 mais atrativa para o público, na minha opinião o que falta é uma equiparidade da equipes. Todas terem condições de correr no mesmo segundo de tempo. Mas para isso acontecer, deveria ter limitador de tecnologia, os carros são muito eletronicos. Praticamente faz tudo para o piloto!!!

  21. Alexandre disse:

    Dispensam pilotos experientes contratam pay drivers, retiram pistas tradicionais, colocam carros que não impressionam, ingressos caros, distanciamento do público..mídias sociais, excesso de regras…eis a F-1 de 2015. Pra mim o declínio desta categoria iniciou-se naquele episódio do Gp da Austría em 2002 com a Ferrari, o Gp de Indianapolis de 2005 com 6 carros e tbm o Gp de Cingapura de 2008(Briatore/Renault/Nelsinho). Soma-se isso tudo e pronto, agora sabemos como a maior categoria do automobilismo está a cada dia perdendo audiência!

  22. Alvaro disse:

    Tá chato mesmo. Continuo assistindo pois gosto de esporte motor. A fórmula está na Motogp. Cada dia mais público e mais motos. Moto 3 moto 2 com mais de 35 motos no grid. Moto GP trazendo de volta Ducati, Suzuki e Aprilia. Eventos mais acessíveis ao público e os pilotos também sempre disponíveis mesmo com disputas acirradas! Dear Bernie, be more simple, learn and change!

  23. Fernando Oliveira disse:

    Já não vejo uma corrida desde o Estoril, gostava de ir ao estrangeiro ver uma mas em Silverstone o bilhete do fim-de-semana são 300€, nem metade disso pago apenas por um bilhete (estaria disposto a pagar isso por um fim-de-semana com dormida, acesso ao paddock e com alguns extras como refeições por exemplo), portanto estarei longe dos autódromos, que fiquem lá os ricos, mas quando um dia despertarem para a falta de patrocínios por terem metido as transmissões em canais fechados e os bilhetes a centenas de euros, depois não se admirem da modalidade acabar de um dia para o outro por falta de interesse dos patrocinadores ($$$).

  24. Sergio Borges disse:

    Imagine se Vettel pegasse a Ferrari de Alonso em 2014 o que diria.Todos queremos mudanças,brigas por posições, ultrapassagens,disputas por título,mas !… quando Vettel & Red Bull ganhavam tudo e seu companheiro sequer lhe fazia frente,(Webber)essa declaração nem pensar.Demagogia e mimimi de quem até tem valor,mas está tendo que trabalhar agora,e muito.Na Fórmula 1 sempre houve hegemonia,na Fórmula 1 sempre o ingresso foi caro no Brasil “talvez” pelo Mundo, a partir do momento que esse esporte passou de paixão para negócio

  25. Marcos Oliveira disse:

    Vão cair de pau em mim, mas, vou dar uma opinião meio antiquada! Quer ver disputas? Quer ver quem realmente é piloto? Simples! Acaba com o acerto de chão (suspensão) pelo engenheiro, acaba com a escolha de relação de marchas pelo engenheiro, diminui a pressão aerodinâmica, deixa o acerto do mapeamento pelo piloto e talvez o mais importante! Volta o câmbio para a velha alavanca em H! ( O que precisava de informação para o desenvolvimento do câmbio sequencial com ou sem borboletas, já foi conseguido ). Aí meus amigos, a gente vai ver quem sabe fazer um acerto ou não, vamos ver quem segura o carro sem tanta aerodinâmica ou não, e….. vão voltar as velhas erradas de marcha! Quando achar a certa…o outro já passou!

  26. duílio disse:

    Tá faltando lobo mau pilotando e marca de cigarro patrocinando.
    F1 é para os loucos.
    Agora tá virando kindergarten…Verstapen com 17 anos…deve ser virgem.
    Saudades do Piquet, do Hunt, Regazzoni, Cevert…Peterson, Arnoux e Papi Villeneuve.

  27. Valdir Venturi disse:

    Bons tempos em que Piquet corria e a sua geração de pilotos talentosos e arrumadores de carros… Depois virou só corridas que ja sabíamos o final… Teve a época da McLarem/Honda, depois a Ferrari, dai apareceu a Braun..após a RBR… e agora Mercedes… ou seja desde os tempo da ´primeira equipe mencionada, só mudou os pilotos, pois os carros vencedores já sabíamos… Cadê 4 ou 5 esquipes disputando a bandeirada…. E outra coisa… Vendo esses regulamentos de nada pode…da uma saudades dos tempos de Gilles Vilenueve… anda na grama, da esbarrões, levava seu carro com 3 rodas… e dava show… Aquilo era fórmula 1… desde muito tempo virou um circo sem “leões”…. Onde quem tem grana pega no volante, não importa a idade ou talento…. busines… busines….

  28. Bruno Moroni disse:

    Mais um engrossando o caldo contra Bernie… Realmente tá uma porcaria, ultimamente.

  29. Alexandre Kuerten email.com disse:

    O que precisa mudar na fórmula 1 é o engessamento criado ao longo dos anos. O Vettel em um dos títulos com a RBR deu zerinhos e subiu em cima do carro atravessado na frente da arquibancada para saudar os fãs. Resultado…. Foi multado. Mark Weber tirou o capacete em Interlagos numa volta de despedida. Resultado… Foi multado. Alem disso, não se pode ter uma disputa espartana sem que se seja punido. A graça das batalhas épicas da era Senna e Piquet se perderam. Nesse ponto o mundial de Moto velocidade Atropela a F-1 e cada vez mais ganha popularidade. Prova disso é a média de público presente nas corridas. Algo em torno de 80.000 pagantes.

  30. anônimo disse:

    depois ainda vem o niki lauda e diz que só tá preocupado em vencer.

  31. vinicius rocha disse:

    Eu sinto hj a Fórmula Indy Muito mais interessante que a F-1

  32. Reideer disse:

    e a FE?
    2 Brasileiros disputando o campeonato,
    Carros parecidos, todo mundo se quebrando. Claro que não tem a mesma velocidade, mas ta show, logo-logo vai substituir a F1

    • Anônimo disse:

      cara isso eu notei.. vai crescer muito essa f-e ja que a f-1 tbm ta com ronco de merda.. entre essa merda de híbrido ou elétrico tanto faz, pelo menos a f-e ta disputada

      • Vini Andrades disse:

        bah assisti F-E mais ainda acho a F- INDY fodonaa rondo dos motores, acidentes espetaculares a potência, coisa que nos anos 2000 não gostava preferia a F1 agora voltei pra Indy Car

  33. sammer disse:

    Concordo com o Vettel, a formula 1 perdeu toda sua essência as batalhas épicas dos anos 80 e até os 90, os carros que eram difíceis de domar mostrava toda a categoria dos pilotos, hoje os carros até são rápidos, mas as corridas em si são chatas, alguns pilotos do grid são péssimos, só estão lá por conta de patrocínios, os carros deveriam ter poucos recursos eletrônicos só deveriam ter o botão para falar com o pessoal dos boxes e já era, ai iríamos ver quem realmente é bom, é claro que o ponto que chegou a formula 1 faz parte da evolução da categoria que é a excelência do automobilismo, mas já não atrai o publico, como já foi dito acima a formula E logo logo vai ser mais popular que a formula 1, a Indy também, se nada for feito será isso que vai acontecer, abre o olho Sr. Bernie.

  34. sergio disse:

    Realmente o vettel está certo. Não há mais empolgação na F1. Não vejo piloto rodar na curva por exagerar na aceleração, não vejo tanta diferença de qual piloto é excepcional e sim qual carro é o melhor…bons tempos fora aqueles do airton senna. A tanta tecnologia que o melhor não é o piloto e sim o carro.

  35. Anônimo disse:

    Pra mim os carros deveriam ser todos iguais, a diferença seria unica e exclusivamente o talento dos pilotos

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s