Análise “equipe-por-equipe” do GP da Hungria

f2 Quando chega o GP da Hungria muita gente fica com o pé atrás, por ser uma pista travada de difícil ultrapassagem e com potencial de virar uma grande procissão. Nada poderia ter sido mais diferente do que isso na corrida de ontem, com muitas reviravoltas, disputas, falhas, pneus furados, batidas e quebras. Vamos agora à “Análise equipe-por-equipe” da corrida:

Curta nossa página no FACEBOOK e siga-me no TWITTER:@inacioF1

f3FERRARI: Com Vettel e Kimi saltando para a liderança da corrida, tudo parecia se encaminhar para uma confortável dobradinha, pois nem Rosberg, o terceiro, parecia ter condições de importuná-los. Vettel conseguiu converter o potencial e vitória, igualando a marca de 41 vitórias de Senna, mas Raikkonen, num ano negativo, enfrentou problemas elétricos, foi perdendo potência e abandonou -que fase! Pelo menos a equipe sai de férias numa nota positiva

RED BULL: Numa pista mais travada onde a potência de motor não fala tão alto, o equilíbrio do chassis do RB11 aliado ao infortúnio de seus rivais diretos garantiu um grande resultado à equipe. Ricciardo teve 3 toques durante numa corrida agressiva as vezes até demais (como no toque com Rosberg, onde quebrou a asa dianteira e furou o pneu do rival), Kvyat alcançou seu primeiro pódio numa corrida de ritmo forte e terminou à frente de seu companheiro.

f5TORO ROSSO: O que Sainz teve de problemas, obrigando-o a abandonar de novo após ir despencando posições na pista, Verstappen teve de fortuna, chegando num ótimo 4º lugar numa corrida. O espanhol entretanto reclamou publicamente da preferência que a equipe deu ao holandês na estratégia de paradas, mesmo quando ele (Sainz) deveria ter a prioridade por estar à frente e mais rápido. Hum…

McLAREN: De longe a melhor corrida da equipe no ano, em grande parte pelo azar de muitos pilotos de equipes fortes, mas também porque Button e sobretudo Alonso souberam extrair o máximo de seus carros e não se envolver em confusões. mesmo que seja circunstancial, registre-se que Alonso terminou à frente dos dois carros da Mercedes! A equipe estava precisando de um bom resultado como esse para entrar de férias num tom mais ameno, mas esse bom resultado não vai se repetir em pistas de alta como Spa e Monza.

MERCEDES: Lewis Hamilton (e Rosberg) largou mal e ainda errou numa dividida com Rosberg, despencando lá para trás. Depois ainda se enroscou novamente ao tentar passar Ricciardo com os pneus frios. No fim ainda teve muita sorte em ver sua diferença de pontos para Rosberg aumentar pelo fato do alemão ter o pneu furado pelo toque de Ricciardo.

f4LOTUS: Talvez ainda abalado pelo funeral do amigo Bianchi, Maldonado superou-se em matéria de erros, levando 3 punições ao longo da corrida (não respeitar a velocidade máxima durante o safety-car virtual, ultrapassar durante o safety-car e colidir com Sergio Perez). Grosjean perdeu 5 posições na primeira volta mas depois recuperou-se e ainda conseguiu manter Rosberg atrás de si nas últimas duas voltas, pontuando bem.

SAUBER: Com tanta gente se estrepando em volta eu até achei que a equipe poderia pontuar mais. Ericsson e Nasr ficaram a prova praticamente inteira juntos, mas com restos dos carros acidentados presos ao seu prejudicando o desempenho, o brasileiro não conseguiu ameaçar seu companheiro na pista, o que não deixa de ser um pouco decepcionante e com isso só o sueco pontuou. A Sauber foi ultrapassada hoje pela Toro Rosso na pontuação e a McLaren se aproximou bastante.

WILLIAMS: Uma corrida para esquecer, essa da equipe inglesa. Saíram zerados na pontuação, vendo a Ferrari se distanciar e a Red Bull se aproximar. Massa fez uma corrida muito fraca (talvez também pelo fator Bianchi), errando a posição de largada, sendo punido por isso, o que lhe custou mais posições e quando usou os pneus médios seu ritmo despencou, sendo até ultrapassado pelas duas Sauber, só se recuperando minimamente com o último jogo de pneus macios, mas aí era tarde. Bottas fez uma boa largada, mas não conseguiu segurar a Red Bull e depois teve um pneu furado na relargada, caindo lá para trás…

MANOR: Merhi terminou a corrida, Stevens quebrou perto do fim.

FORCE ÍNDIA: Outra equipe que teve um fim de semana para esquecer. Primeiro com a quebra de suspensão de Perez, que na corrida foi tocado por Maldonado e rodou, caindo várias posições e abandonou com problemas nos freios. Depois com a quebra da asa dianteira de Hulkenberg, que vinha forte e provavelmente chegaria em 4º ou 5º. É bom a equipe reestudar seus conceitos de fabricação das peças, pois duas falhas estruturais não são comuns.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Análise “equipe-por-equipe” do GP da Hungria

  1. Olá José! Em primeiro lugar, parabéns pelo blog!
    Queria relatar algo que não vi repercussão em nenhum outro veículo de mídia, mas que me chamou a atenção na corrida. Após o acidente com Hulkenberg, parece que a Force India trocou o bico se Sergio Perez pelo modelo antigo, sem as duas entradas. Você pode confirmar isso?
    Abs.

  2. Uma coisa estranha foi que na relargada após o Safety Car, havia uma distância do sétimo colocado pra trás fora do normal. Muito grande. Acredito que o piloto que vinha por ali ( não sei quem era ) cochilou, pois deixou os carros da frente escaparem demais e com isso prejudicou quem vinha atrás.

  3. Anônimo disse:

    E alguém sabe me dizer porquê Verstappen não pagou sua punição (drive-thru)?

  4. Anônimo disse:

    Nasr.. Atrás do Ericsson.. Dnv… Cara sei não

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s