Conversa de bastidores da F1 – II

haas

  • Jean-Eric Vergne passou a seguir a equipe Haas no Twitter. Sinal que ele pode ir para lá? Pode ser, mas o mais provável é que ele esteja fazendo isso porque é funcionário da Ferrari, que fornecerá motores e uma série de outras peças – além de alugar o túnel de vento para a equipe americana ano que vem. A equipe não o seguiu de volta (seria improvável dois pilotos franceses por lá).
  • Com a situação na McLaren longe de ser esperançosa, Jenson Button pode pendurar mesmo as sapatilhas da categoria… ou ir para a Renault, segundo alguns especulam. Sua experiência e consistência seria bem vinda, especialmente ao lado de Maldonado. Mas Ron Dennis já disse que o quer onde está. Não acredito na ida do inglês para a Renault.
  • Se Button ficar na McLaren, para onde vai o talentosíssimo Stoffel Vandoorne? Kevin Magnussen, que hoje também está na acirrada disputa pela vaga na Lotus é prova que a fila de espera na McLaren pode não trazer bons frutos para quem concorda em ficar nela.
  • Alguns especularam que até Fernando Alonso poderia se bandear para a Renault, mas isso eu acho beeeem improvável, já que seu contrato com a McLaren é bem amarrado e os franceses dificilmente pagariam o mesmo salário nem a rescisão contratual, fora que ficar trocando de equipe assim seria prejudicial à sua imagem.
  • Aliás, em a Renault assumindo de fato a Lotus, como se pré-comprometeu no documento divulgado ontem, o tradicional nome da equipe (Lotus) pode ser extinto de novo e possivelmente as belas cores preta e dourada também.
  • Com Romain Grosjean hoje confirmado como piloto da Haas, quem será o seu companheiro? Tudo indica para Esteban Gutierrez, ex-piloto da Sauber e membro da academia de pilotos da Ferrari, o que pode significar até um descontinho nos motores italianos. O anúncio ainda não foi feito porque sendo Gutierrez mexicano, nada melhor que esperar o GP local para isso, quem sabe já de olho nos patrocinadores locais da nova equipe.
  • Mas… Há quem diga que Kevin Magnussen é que será o companheiro de Grosjean na equipe americana (a bela projeção de pintura do carro da equipe na foto lá de cima é do jogo de vídeo game Forza 6). Seria uma bela dupla!
  • Depois das pesadas críticas de Alonso no GP do Japão, Yasuhida Arai, da Honda fez questão de dizer que além dos problemas de motor o carro da McLaren também não é tudo isso que falam, contribuindo para os resultados ruins. Felizmente, disse ele, ambas as questões estão sendo trabalhadas para uma evolução em 2016.
  • Ferrari, Honda e Renault pressionam a FIA e a Mercedes a flexibilizar o congelamento da evolução dos motores para 2016. Ano que vem as fabricantes terão que homologar suas versões finais dos motores até 28 de fevereiro e não poderão mexer ao longo do ano, como ocorre nessa temporada – o que é uma tremenda estupidez para uma categoria que deveria estar em constante evolução.
  • Bernie Ecclestone segue no trabalho de convencer Sergio Marcchione, presidente da Fiat e da Ferrari a fornecer motores para a Red Bull e Toro Rosso (pois é, ela também deixará os Renault, lembra?). O que pega é que com medo de serem superados pela equipe dos energéticos, os italianos só topam vender motores de 2015, distinção que a Red Bull não concorda, especialmente porque Sauber e Haas também usarão a versão 2016.
  • O calendário 2016 segue evoluindo para ter 21 etapas, começando em março terminado quem sabe em dezembro, já considerando as férias de agosto.
  • Sauber e Force Índia protocolaram uma reclamação junto à União Européia para que investiguem a F1 por abuso de poder econômico na distribuição desproporcional de lucros da categoria entre as equipes. Algumas poucas equipes – as mais ricas – ganham mais dinheiro independente dos resultados na pista, segundo critério de “antiguidade e importância”. Em 2014, por exemplo, mesmo terminando em 4º lugar na tabela a Ferrari recebeu mais dinheiro que a campeã Mercedes.
Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

12 respostas para Conversa de bastidores da F1 – II

  1. Diego Sowaka disse:

    Que essa queixa não seja subestimada muito menos desprezada pelos “fã de automobilismo”, quando se envolve o nome de Ecclestone, com certeza existe falcatrua muito bem arquitetada, afinal Ecclestone tem contatos fortes tem um sistema a favor do que desejar.
    Tomara a Deus que dê certo essa queixa e que cause um efeito cascata pra que finalmente se exista um grid de igualdade entre as equipes, não se pode mais aceitar 3 categorias dentro das corridas como vemos a décadas.

  2. A Haas não esperará o GP do México. Haja vista que confirmaram desde sábado que o anúncio seria hoje as 15h.

  3. Aliás, essa projeção é pra deixar qualquer petrol-head de queixo caído.

  4. Ricardo disse:

    A HASS DEVERIA CONTRATAR NELSINHO PIQUET

  5. Gui disse:

    Se a HASS tiver essa pintura ano que vem…Linda!!!!

  6. Keller disse:

    Então ainda acho que pela experiência pelo carinho com a Ferrari e por tanto tempo quiado lá Rubens Barrichello seria o piloto ideal para a Haas que vem forte para o ano que vem podendo deixar Manor e McLaren

  7. Marcos Oliveira disse:

    Achei a pintura bem bonita.
    Mas pelas cores que eles vem utilizando no logotipo e uniformes, creio que o carro será branco-e-vermelho, ou preto-e-vermelho.
    Só espero que não seja idêntica à da NASCAR, porque isso num F1 iria ficar igual à antiga Marussia, que não traz grandes lembranças…

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s