Sobre a Red Bull correr com Honda

cosworthAlém do tempo ruim, que promete ser ainda pior nesse sábado segundo algumas equipes, o zum zum zum de hoje no paddock do GP dos Estados Unidos foi em torno da Red Bull ter procurado a Honda para que usar os motores japoneses em 2016.

Curta nossa página no FACEBOOK e siga-me no TWITTER:@inacioF1

Essa solução seria muito interessante para a Red Bull, que poderia se associar à uma marca conhecida e com potencial de melhoras expressivas após um primeiro ano desastroso, expectativa que tinham com a Renault esse ano mas não foi correspondida. Essa parceria seria igualmente valiosa para a Honda, que assim teria mais uma equipe muito bem estruturada para coletar informações sobre seus motores, o que poderia acelerar o tempo de evolução deles, embora crie a necessidade de duplicar sua capacidade técnica e humana para atender a demanda de por mais motores.

Só que pelo que se comenta a McLaren, parceira preferencial dos japoneses, teria o poder contratual de vetar essa nova parceria e as chances deles exercerem esse veto é grande, pois não querem correr o risco de ficarem para trás da Red Bull usando o mesmo motor, uma vez que isso evidenciaria uma inferioridade de chassis e portanto técnica da fábrica de Woking, algo muito negativo para a imagem da equipe que não vence corridas desde 2012 e que atravessa uma temporada trágica de resultados, mas sem nunca reclamar publicamente dos problemáticos motores, diferente do que a Red Bull faz com a Renault.

Assim, com as portas fechadas na Mercedes, Ferrari e provavelmente Honda, salvo uma atuação extraordinária de Bernie Ecclestone nos bastidores, as alternativas mais prováveis para a Red Bull seriam continuar com o fornecedor atual nos moldes de hoje, usando o nome Renault e tendo que engolir os desaforos que disseram, ou rebatizando-os com outro nome (como a Sauber, que no início dos anos 2000 usava o nome da patrocinadora Petronas nos motores da Ferrari), mas ainda assim tendo que engolir seus desaforos, já que em ambos os cenários dependem da boa vontade dos franceses. Para 2017 poderiam buscar novos parceiros ou até mesmo produzir – ao menos em parte – seus próprios motores em parceria com a Ilmor ou Cosworth, sendo que esta tem um projeto de motor turbo praticamente pronto (imagem acima), por exemplo.

Eu confesso que torço por essa última opção, pois significaria um quinto fabricante nas pistas, mas por enquanto é só teoria. Vamos aguardar.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Sobre a Red Bull correr com Honda

  1. José Roberto Mota disse:

    Inácio, só pra corrigir: a equipe sediada em Grove é a Williams. A McLaren está sediada em Woking. Um abraço…e quem será o novo piloto da Lotus?

  2. Foi anunciado hoje: Jolyon Palmer, campeão da GP2 no ano passado e atual terceiro piloto da Lotus.

  3. Felipe disse:

    Seria bacana ver a Cosworth de volta.. mas duvido muito que façam melhor que a Honda desse ano… lembram da Williams com o Cosworth? não foi lá aquelas coisas..

  4. Joao disse:

    Alguma chance de bmw, Porsche, audi fazer uma parceria com a red bull?

  5. Anchor disse:

    Reiterando minha aposta, continua como Renault. Uma nova fabricante de motores só se for em 2017 isso com muito otimismo. Seria legal uma nova montadora se associar a Cosworth ou até a Pure do Craig Pollock que tinha um projeto de um motor, como era com a Ford. Uma marca da China, Coréia, assim teríamos algo realmemte novo na F1.
    Nesses últimos anos as mudanças de regulamento foram claramente para acabar com o domínio da RedBull, atualmente o que faz um carro vencedor são as unidades de força, não tanto o chassi e a aerodinâmica. Para 2017 podiam diminuir as restrições de consumo, e unidades força por ano. Motores de corrida e treino, pneus mais duráveis, Uma F1 de velocidade pura, pé embaixo sempre.
    Os pilotos que estão no topo não vão mudar, mas alguns pilotos ditos arrojados podem aparecer mais. Minha opinião, mas o Massa entra nessa lista.

  6. Sanzio disse:

    A McLaren deve estar numa sinuca de bico: se não veta, corre o risco de criar uma cobra, como aconteceu com a Brawn em 2009, quando o Witmarsh não vetou a Mercedes de fornecer motores e deu o que deu.
    Se vetam, criam um mal estar com a Honda.
    Como a McLaren tá meio no vermelho, e a Honda está injetando uma boa grana na equipe, duvido muito que vetem caso a Honda queira mesmo fornecer os motores. Quem vai dar a palavra final, vai ser a Honda mesmo.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s