GP Brasil de 2016 sob risco

tamasO Grande Prêmio do Brasil de 2016 está sob risco de não acontecer, afirma Tamas Rohony, responsável pela realização do evento no Brasil. E o problema são os prejuízos com a prova, que deve fechar esse ano no vermelho.

Curta nossa página no FACEBOOK e siga-me no TWITTER:@inacioF1

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o dirigente da Interpub, empresa responsável pela organização da corrida disse de forma bastante clara que “a não ser que apareça um messias, há um sério risco de o Brasil não ter Grande Prêmio em 2016”. Em 2014 a corrida amargou prejuízos de 27 milhões de reais e com a fraca presença de apenas 136 mil pessoas nos 3 dias do evento desse ano, somados ao fato que muitos compromissos e custos dele são calculados em dólar, que disparou no último ano, significa mais um ano de grandes perdas financeiras para os organizadores – mas não para a cidade que teve um faturamento de cerca de 300 milhões de reais com os turistas a mais.

Parte do problema, conta Tamas ao Valor, está na escalada dos valores para realizar o GP: “O custo para se realizar um evento desses cresceu mais 20, 25 vezes nos últimos 40 anos”. Atualmente ele desembolsa 23,5 milhões de dólares à empresa de Bernie Ecclestone, a FOM, para poder organizar o evento aqui (em outros países a conta chega até 40 milhões de dólares) e a organização ainda tem que se responsabilizar pelo aluguel do autódromo, reformas, operações etc, tudo no mais alto padrão exigido pela FIA e FOM, tendo como únicas contrapartidas a receita da bilheteria, alguns direitos de transmissão e patrocínio local, que com o atual fase de mingante de audiência na TV e na pista, quadro recessão econômica e desvalorização cambial, não está cobrindo as contas.

Vamos ver se essa forte declaração de Tamas é apenas uma forma de pressionar Bernie a rever os pesados valores pagos ou mesmo obter polêmicos subsídios estatais sob a argumentação de que se trata de um evento nacional e que as receitas trazidas para o país são significativas pois excederiam os eventuais gastos – quando não tem uma enorme e atípica reforma na agenda como é o caso atual. Para ler toda a matéria completa no Valor Econômico (restrita à assinantes) clique AQUI.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

20 respostas para GP Brasil de 2016 sob risco

  1. Ricardo disse:

    Já vai tarde.Circuito sem graça.

  2. Ricardo disse:

    A única corrida que teve graça foi em 2003.E só.

  3. Piero Pagni disse:

    José Inacio,
    Quem está mentindo ?
    O Tamas afirma que é responsavel por reformas e etc… e o Prefeito diz que recebeu dinheiro do PAC p/ as reformas …
    Como o Sr. Tamas diz que não vai ter GP se tem contrato até 2020 ?

    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/08/ministerio-do-turismo-anuncia-r-280-mi-para-obras-em-sao-paulo.html

    • José Inácio disse:

      A organização é a responsável, mas ela conta com a decisiva ajuda da prefeitura por ser uma pista municipal.

    • andre disse:

      A pista tem pouca responsabilidade neste caso. Até porque estao bancando as reformas necessárias (alias, faz tempo que interlagos precisava melhorar). Acontece que nao é todo mundo que tem 500 reais pra pagar num ingresso. Fora isso, a Globo tem claramente boicotado a formula 1 dentro de sua grade, o que diminui o apelo comercial para patrocínios.

  4. andre disse:

    Me desculpem, mas… quem banca as reformas do autódromo é a prefeitura! A contrapartida que a prefeitura espera é justamente o retorno com turismo e toda movimentacao que o ‘circo’ traz pra cidade. Se ainda sim tiveram prejuízo, talvez seja a hora de repensar o custo dos ingressos.

  5. Enquanto não tivermos um piloto de ponta disputando título, a audiência da Fórmula 1 só tende a cair no nosso país. Vamos torcer para que o Felipe Nasr consiga um contrato em uma equipe grande para 2017 ou para que apareça um jovem piloto talentoso. Só isso pra salvar a Fórmula 1 no Brasil.

  6. Em tempo: sempre gostei das corridas em Interlagos, mas esse acho foi bem chata mesmo.

  7. Anônimo disse:

    Eu acho que a queda de interesse é por contaa da propria Formula 1 estar meio sem graça nesses ultimos anos. Não há igualidade, nao há disputas de verdade, pegas de tirar o folego…e as pessoas acabam gastando o dinheiro em outro lugar q julguem mais interessante. Isso é normal, inclusive pra patrocinadores. Se nao há audiencia, não há clientes, nao há patrocinadores. É um ciclo.

  8. Stefano Lima disse:

    A fórmula 1 está meio chatinha ultimamente. Salvo alguns gps isolados, mas de resto…

  9. Anônimo disse:

    Conversa essa historia de não ter GP em 2016,o fato e que as corridas estão sem disputa,mas os pilotos já estão se movimentando quanto a isso,vai mudar muita coisa….

  10. Fabio Grillo disse:

    Os 10 eventos mais lucrativos na cidade de São Paulo

    O Jornal O Estado de São Paulo, em seu caderno cidades/metrópoles, publicado no último domingo dia 07 de março de 2010, divulgou em uma matéria os 10 eventos mais lucrativos da cidade de São Paulo.

    1º – GP Brasil de Fórmula 1
    Gasto por parte dos turistas: R$ 230 milhões
    Público: 140 mil, sendo 85 mil de fora da cidade
    Empregos gerados: 7 mil
    Data de sua realização em 2010: 05, 06 e 07 de novembro

    2º – Parada do Orgulho GLBT
    Gasto por parte dos turistas: R$ 189 milhões
    Público: 3,5 milhões, sendo 400 mil de fora da cidade
    Empregos gerados: 2 mil
    Data de sua realização em 2010: 06 de junho

    3º – Salão Internacional do Automóvel
    Gasto por parte dos turistas: R$ 125,5 milhões
    Público: 650 mil, sendo 200 mil de fora da cidade
    Empregos gerados: 20 mil
    Data de sua realização em 2010: de 28 de outubro a 07 de novembro

  11. Fabio Grillo disse:

    agora em 2014

    http://www.spturis.com/v7/noticia.php

    Impacto turístico e econômico

    A permanência média dos visitantes de outras cidades ficou em quase três dias – justamente o período do evento, com início dos treinos livres na sexta, classificatório no sábado e prova no domingo. Em 2013 e 2014, dois terços ficaram hospedados em hotel ou flat, além de 19% deles afirmarem que compras é uma das atividades preferidas. O gasto médio aumentou ao longo do tempo, passando de R$ 930 em 2004 para R$ 3 mil dez anos depois. “Essa grande diferença e crescimento acompanhou a inflação acumulada da última década. E o reflexo na economia também é importante, pois em 2014 chegou à marca de R$ 296 milhões em movimentação na cadeia turística da cidade”, destaca Mihalik.

  12. Lio Campos disse:

    Todos tem culpa …menos Bernie Eclestone, o Circo tem culpa por que os carros ficaram silenciosos .parece carro elétrico Bernie sempre foi CONTRA ..e pior só 2016 continua silencioso só volta barulho 2017 ..Bernie tentou voltar ja mas equipes alegam que seria muito caro voltar ja..investiram muito nesta regra idiota..de hoje..E a Prefeitura lógico que tem CULPA o PT só quer ARRECADAR e não quer gastar 1 centavo ..e Bernie sabe que a Prefeitura é riquissima e desostissima ..dai não querem bancar tudo sozinho..e ameaçam sair ..Então é um conjunto de FATORES NEGATIVOS PT FEDERAL que pela PÉSSIMA ADMINISTRAÇÃO FEZ REAL CAIR BARBARAMENTE ..SE TIVESSEM COMPETENCIA EM NÃO AUMENTAR IMPOSTOS E SUMIR COM BILHÕES 1 real hoje valeria 1 dolar ..e o povo estaria RICO e se tivesse barulho todo mundo lotava Interlagos..NA MINHA OPINIÃO A CULPA É 75% DO GOVERNO FEDERAL.ESTADUAL E MUNICIPAL E 25% DOS CARROS SEM BARULHO..

  13. É de cair o cú da bunda uma noticia dessas. A prefeitura mobiliza um caminhão de dinheiro pra atender as necessidades desse evento, trabalha pra ajustar o autódromo como nunca visto antes nesse país, ai vem o rapaz que lucrou a vida toda reclamar que não está bom para ele? Faça me o favor.

    Seria bom houvesse, mas não acredito muito, alguma coisa no papel quanto a ressarcimento dos cofres públicos caso o moço que organiza dê pra traz com o evento nos próximos 10 anos.

    Fazer um evento desse é claro que não é barato nem simples, mas que a F1 no Brasil é uma M…. para os fãs não tenha duvida. Já estive em alguns GPs fora de Interlagos e essa organização atual não manja nada de evento, captação e fidelização de publico, não que eu saiba algo, mas eles poderiam visitar alguns GPs mundo a fora, tirar a bunda do Paddock Club e ir dar umas voltas nas instalações do grande publico pra ver como e que as coisas são feitas.

    Mas pensando bem tb, quem sabe se esse moço der pra trás alguém melhor não resolve assumir a bagaça. Vamos pensar no provérbio Chinês da Vaquinha.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s