Balanço “Equipe por Equipe” do GP da Espanha

E vamos a uma análise equipe por equipe do GP da Espanha, que pelo menos na disputa pelas três primeiras posições não foi das mais movimentadas, mas para os demais envolvidos na numerosa turma “do resto”, até que foi mais interessante:

MERCEDES: Hamilton largou bem, abriu vantagem confortável para Max e ficou na liderança até o fim, com a tranquilidade dos campeões. Bottas não largou tão bem, deixou a porta aberta para Verstappen e Stroll, embalados pelo vácuo, o passarem na primeira curva e ali selou seu destino na corrida. Passou Stroll, mas não Max, comboiando-o até o fim. Agora está atrás do holandês na tabela. Com uma Mercedes, o que não pega muito bem mas também significa que poderá reverter isso em breve.

RED BULL: Mais uma vez Verstappen tirou o máximo do seu carro e conseguiu passar e segurar Bottas, mas infelizmente não tinha como fazer mais do que isso com o carro que tem. Albon fez uma largada ok mas foi prejudicado por uma ainda inexplicada parada prematura da Red Bull que o colocou com pneus duros atrás de carros mais lentos ainda sem parar e calçados com pneus macios e mais velhos. Com isso ficou preso no bolo e chegou em um modesto oitavo com os pneus gastos por ficar atrás do ar sujo por tanto tempo.

RACING POINT: Dessa vez não perderam desempenho durante a corrida. Stroll fez boa largada mas a realidade é que quarto lugar é o máximo que poderia fazer hoje, mesmo na estratégia de uma a mais que Perez. O mexicano foi bem, mas foi punido por desrespeitar as bandeiras azuis e com isso perdeu 5 segundos, que dariam a Stroll a quarta posição. Com isso a equipe assumiu o terceiro lugar na tabela de construtores

McLAREN: Não tinham um grande carro comparativamente à Racing Point, mas Sainz fez um bom trabalho e Norris, depois uma largada não muito feliz, marcou um magro pontinho colado em Gasly. Com isso está 1 ponto atrás da Racing Point na tabela (isso porque a rival perdeu 15 com a punição recente por copiar os dutos de freio da Mercedes). Essa é a realidade da McLaren atualmente.

FERRARI: Mais uma corrida sofrida para os italianos. Leclerc penava para ficar entre os 10 primeiros até seu motor apagar e fazê-lo rodar. Em seguida acabou por abandonar para não prejudicar o motor, que poderia apresentar algum problema mais sério. Vettel, mas atrás, ainda conseguiu salvar um bom 7º lugar segurando Albon e a fila de carros atrás dele, apesar do vacilo da Ferrari em definir se ele tinha que acelerar tudo pra fazer mais uma troca ou segurar um pouco o ritmo para chegar até o fim com o mesmo jogo de pneus, que acabou sendo a alternativa escolhida depois do alemão, com razão, perguntar e reclamar da indecisão.

ALPHA TAURI: Gasly marcando 2 pontos colado em Albon numa corrida forte pelo carro que tem. Segue avisando à Red Bull que é bom o suficiente para voltar para lá, caso a equipe canse do tailandês – e arriscar ser fritado de novo na comparação com Verstappen, quase um pegadinha. Kvyat numa corrida forte chegou um pouco mais longe do bolo que juntou o 7º ao 11º e um pouco mais distante dos pontos.

RENAULT: Corrida ruim, com seus dois pilotos fora da zona de pontos pela primeira vez no ano. Ricciardo e Ocon fizeram o que podiam sem erros nem lances entusiasmantes, mas não tinham ritmo, possivelmente graças ao calor que castigou o equilíbrio do carro francês de maneira mais contundente que os dos rivais.

ALFA ROMEO: Kimi Raikkonen hoje bateu o recorde de voltas completadas na categoria, que era de Schumacher e o fez em disputas renhidas no fim do pelotão, superando a turma dos carros fracos com o igualmente fraco equipamento que dispunha, quase sempre longe das câmeras de TV. Giovanazzi não fez nada demais também, como é tonica nessas equipes limitadas.

HAAS: Magnussen e Grosjean apareceram na TV mais por segurar carros claramente mais rápidos por várias voltas (o primeiro) e por escapadas e atravessadas de pista (o segundo) do que propriamente pelo brilho de seus desempenhos. Não é fácil a vida deles.

WILLIAMS: Mais uma corrida difícil para a única equipe ainda zerada nos pontos e numa pista em que as deficiências do carro mais uma vez se fizeram sentir. Ao menos ficaram à frente de uma Haas.

A pontuação do campeonato de construtores ficou assim:

1 Mercedes 221
2 Red Bull 135
3 Racing Point 63
4 McLaren 62
5 Ferrari 61
6 Renault 36
7 Alpha Tauri 16
8 Alfa Romeo 2
9 Haas 1
10 Williams 0

E a pontuação do campeonato de pilotos ficou assim:

1 L. Hamilton 132
2 M. Verstappen 95
3 V. Bottas 89
4 C. Leclerc 45
5 L. Stroll 40
6 A. Albon 40
7 L. Norris 39
8 S. Perez 32
9 C. Sainz 23
10 D. Ricciardo 20
11 E. Ocon 16
12 S. Vettel 16
13 P. Gasly 14
14 N. Hulkenberg 6
15 A. Giovinazzi 2
16 D. Kvyat 2
17 K. Magnussen 1
18 N. Latifi 0
19 K. Raikkonen 0
20 G. Russell 0
21 R. Grosjean 0

Aqui, a tabela da FIA com o resultado oficial da corrida

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Balanço “Equipe por Equipe” do GP da Espanha

  1. Pingback: Nelson Piquet, 68 anos | JOSEINACIO.COM

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s