O banco de um Fórmula 1

Esse é um banco de carro de Fórmula 1 moderno visto por trás. Ele não acolchoado nem macio como os de um carro de rua ou mesmo esportivo normal.

Ele é o exato molde do corpo do piloto que o dirige, que senta por cerca de 10 minutos vestindo seu macacão numa resina moldável de secagem rápida com um plástico o separa do material, para não lambuzar tudo nem colar a roupa do piloto (veja a outra imagem abaixo).

Assim, ele deixa impresso o seu formato, que é usado como base para a aplicação das camadas de fibra de carbono e um fino tecido aderente de acabamento.

Podemos ver exatamente as pernas, a “poupança”, costas e até as mínimas protuberâncias laterais do piloto em questão, no caso da imagem acima, Romain Grosjean.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é toro.jpgAo logo da temporada esse banco pode precisar ser refeito, conforme o piloto mude sua configuração física (emagrecendo ou ganhando massa muscular, por exemplo). Em caso de resgate, se necessário, o piloto pode ser retirado do interior do carro ainda preso ao banco para evitar eventuais danos à coluna durante o transporte. 

Abaixo vemos um banco atual da equipe Mercedes de Valtteri Bottas e Lewis Hamilton na posição real em que ele fica disposto dentro dos cockpits dos monopostos, com os pilotos quase deitados.

PORTUGAL DECRETA CALAMIDADE, GP DE F1 AMEAÇADO?

HULKENBERG E PEREZ NA DANÇA DAS CADEIRAS DE 2021

SILVIO SANTOS, PILOTO DE FÓRMULA 1?

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Portugal decreta calamidade. GP de F1 sob risco?

Hoje amanheço com essa manchete na seção internacional do meu jornal: “Portugal decreta calamidade”. Avançando no texto do jornal O Estado de S. Paulo, chego no trecho que diz “Pelas nova regras, celebrações de batismos e casamentos poderão ter participação de, no máximo, 50 pessoas”.

Nada dizem, entretanto, sobre eventos esportivos. Essas novas regras tem duração inicial de 15 dias, estaria então o GP de Portugal, que se realiza nos dias 23 à 25 desse mês – dentro desse período, portanto – sob ameaça? Algumas pessoas pessoas já me perguntaram no isso no Twitter e respondo: Provavelmente não. Explico!

Pesquiso em sites do governo português e em periódicos locais. Por lá não se fala ainda de ameaça à realização do GP em si, inclusive porque o grupo de mecânicos, dirigentes, pilotos e jornalistas que viaja para as corridas está sempre sob rigoroso acompanhamento médico,

Na Fórmula 1, tão logo surjam pessoas contaminadas, são extirpadas do convívio com os demais membros e mantidas isoladas com protocolos de comunicação, alimentação e acompanhamento médico rigorosos, para não amplificar o número de adoecidos, para que não seja a categoria enxergada pelo governo como um possível vetor de contaminação, ou seja, a F1 não elevaria por si os já crescentes números locais.

Com isso, a realização do evento, salvo uma mudança drástica não visível hoje, deve ser uma realidade, trazendo de volta a Fórmula 1 para lá pela primeira vez desde 1996 (só houveram alguns testes, já na nova pista de Portimão, Algarve em 2008 e 2009, como na foto acima).

Entretanto, uma possibilidade real caso os números de contaminados sigam subindo, seria a de não haver qualquer pessoa presente nas arquibancadas portuguesas, em movimento semelhante ao recentemente anunciado pelos organizadores da Turquia, o próximo do calendário, que desistiram da torcida.

Por enquanto o governo não anunciou restrições à presença do público, mas os organizadores já teriam um plano de contingenciamento para o rápido reembolso de quem comprou os ingressos, caso isso se mostre necessário.

Agora resta torcer para que a alta de contaminações em solo lusitano volte a cair, até para que o retorno de um GP de Fórmula 1 após 24 anos não se torne um evento esportivo cercado de tristeza, preocupação e luto, quando deveria ser de júbilo.

HULKENBERG E PEREZ NA DANÇA DAS CADEIRAS DE 2021

SILVIO SANTOS, PILOTO DE FÓRMULA 1?

O RAIO X DE UM FÓRMULA 1

RED BULL TEM DUTO SECRETO

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Hulkenberg e Perez na dança das cadeiras 2021

2020 está sendo palco de uma temporada atípica devido à pandemia. Graças à essa realidade, um piloto que não teria chances reais de pilotar esse ano, o fez por duas, quase três ocasiões (numa delas seu escapamento quebrou e ele sequer largou). Este é Nico Hulkenberg.

O piloto que, ironicamente, lhe cedeu a primeira vaga desse ano quando adoeceu de Covid-19, foi justamente Sergio Perez, que chegou num sólido quarto lugar nesse último final de semana. E o que esses dois pilotos tem em comum, além do carro rosa da Racing Point desse ano?

Mais de 10 anos de experiência no grid e estarem sem vaga em 2021, mesmo tendo competência para merecer uma cada. Se nenhum dos dois é tido com ultra talentoso como um Lewis Hamilton ou Max Vertappen, também são reconhecidamente melhores do que alguns nomes que hoje estão no grid, inclusive segundo palavras do próprio Max Verstappen.

Privadamente ambos flertam com a vaga de Alexander Albon na Red Bull que, salvo em raras ocasiões, ainda não mostrou de forma categórica merecer manter-se na vaga e pode rodar no ano que vem, embora isso ainda seja algo pouco provável. Se isso isso ocorrer, ambos já teriam deixado recados à Helmut Marko e Christian Horner que estão dispostos à sentarem na vaga comedora de reputações, que é a de número 2 de Max.

SILVIO SANTOS, PILOTO DE FÓRMULA 1?

O RAIO X DE UM FÓRMULA 1

RED BULL TEM DUTO SECRETO

O GP MAIS FRIO DA HISTÓRIA

Afora isso, que outras vagas haveriam? As mais claras são as 4 de Haas e Alfa Romeo, mas essas, segundo a radio paddock, já estariam encaminhadas na disputa entre os novatos Nikita Mazepin, Robert Shwartzman e Mick Schumacher e ainda os veteranos Kevin Magnussen e Kimi Raikkonen, sem esquecer Romain Grosjean e Antonio Giovinazzi, tidos como virtualmente já dispensados mas que por enquanto não foram e hoje estão à frente de seus companheiros na tabela de pontos. Mas vai saber…

Afora essas duas equipes, para que outras iriam? Mercedes deve fechar com Hamilton e Bottas já foi confirmado. Red Bull falei acima ao passo que Renault, Ferrari, McLaren, Williams e Racing Point já fecharam suas duplas. Alpha Tauri deve ter Gasly e um novato da academia dos energéticos.

Como se vê, a situação deles não está fácil, mesmo certamente merecendo um lugar na categoria. Por outro lado, outros também mereciam e se foram ou sequer chegaram ainda e a disputa por vagas da Fórmula 1 não é nunca foi marcada pelo que nos parece “justo”.

Só que como disse, 2020 tem sido um ano atípico então isso também pode trazer uma vaga que hoje não vemos existir com clareza para ao menos um deles, quem sabe. E você, onde gostaria de ver esses pilotos em 2021?

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Silvio Santos, piloto da Williams de Fórmula 1?

SilvioSantosPaceEsse aí nas fotos trajado um macacão original da equipe Williams de Fórmula 1 e seu indefectível microfone de colarinho é o apresentador Silvio Santos no palco de seu programa de televisão, quando este ainda era na Rede Globo, no longínquo ano de 1972.

Curta nossa página no FACEBOOK e siga-me no TWITTER @inacioF1

Não, Silvio não pilotou nem testou pela equipe inglesa – que naquela época ainda não construía seus próprios carros e correu essa temporada com um chassis March 711 da temporada anterior.

Essa roupa na verdade era de seu então entrevistado especial daquele dia, o brasileiro José Carlos Pace, (repare o nome dele ao lado do microfone) que estreava na categoria naquela temporada.

SilvioSantosPace72Como sabemos, Pace viria a falecer apenas 5 anos depois num trágico acidente aéreo em Atibaia, perto de São Paulo, após disputar 73 corridas na Fórmula 1 e quando começava bem a temporada de 1977, com um pódio no GP da Argentina, quando já competia pela equipe Brabham de Bernie Ecclestone.

Infelizmente não consegui achar um vídeo dessa prodigiosa entrevista de Pace à Silvio na internet. Se alguém encontrar, manda o link no espaço para comentários abaixo que eu incorporo à matéria!
(post original de 14/05/2015)

O RAIO X DE UM FÓRMULA 1

RED BULL TEM DUTO SECRETO

O GP MAIS FRIO DA HISTÓRIA

Publicado em Uncategorized | 11 Comentários

O Raio X de um Fórmula 1

Eis uma imagem quase impossível dos modelos atuais: O raio X de um Formula 1, onde podemos ver direitinho todas as partes como motor, câmbio, cockpit, tanque de combustível etc de um carro relativamente moderno de Fórmula 1. Algo que continua válido até hoje é a baixíssima posição em que os pilotos sentam (ou deitam) para pilotar, tudo para tornar o carro mais baixo e aerodinâmico e baixar o centro de gravidade.

O carro que vemos é o Toyota TF109 de 2009, último representante da marca japonesa na categoria antes do abandono ao final daquele mesmo ano. Infelizmente nenhuma equipe produziu imagens como essa dos modelos atuais, muito mais complexos e certamente ainda mais interessantes de se entender onde fica o quê na distribuição interna de componentes.

A Toyota mesmo só divulgou essa imagem depois que já haviam decidido abandonar a categoria, justamente quando entregar eventuais “segredos” já não lhe afetaria mais.

Achei essa pequena preciosidade procurando nos escombros do meu blog e reparei que essa imagem em alta resolução simplesmente não existe mais na internet, sendo essa a melhor que há! Clique na imagem para ampliá-la

RED BULL TEM DUTO SECRETO


ANÁLISE “EQUIPE POR EQUIPE” DO GP DE EIFEL 2020

O GP MAIS FRIO DA HISTÓRIA

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Red Bull tem asa com “duto secreto”

Algumas imagens circularam nesse final de semana mostrando a equipe Red Bull montando o bico do seus carros, e até aí tudo bem. Só que em algumas delas o ângulo em que os mecânicos seguravam a asa tornou possível de se ver melhor emxo delas e aparentemente descobriu-se assim uma abertura de ar embaixo das extremidades laterais.

Essa abertura conduziria parte do fluxo de ar que passa embaixo da peça para as dois pequenos furos na extremidades superiores dessa mesma peça, aparentemente soprando ar em frente aos pneus e com isso, em tese, diminuindo um pouco a turbulência de ar naquela região, um dos pontos de maior arrasto aerodinâmico de qualquer carro de corrida não carenado, já que é uma “parede” reta exposta de frente para o vento.

O resultado isolado dessa novidade não deve ser garantir aos carros de Verstappen e Albon nenhum salto de desempenho, mas certamente é mais um detalhe que soma para tornar o RB16 “o melhor do resto” apesar de não contar com o melhor motor do grid e reforça a grande capacidade criativa e inventiva de Adrian Newey e sua equipe técnica.

Clique nas imagens para ampliá-las!

ANÁLISE “EQUIPE POR EQUIPE” DO GP DE EIFEL 2020

O GP MAIS FRIO DA HISTÓRIA

A FÓRMULA 1 FICOU MUITO CARA E COMPLICADA

DANÇA DAS CADEIRAS 2021 – TODAS AS 20 VAGAS DA F1 ANALISADAS

Publicado em Uncategorized | 6 Comentários

Análise “equipe por equipe” do GP de Eifel (Nurburgring) 2020

E foi sob baixas temperaturas, com Safety-car virtual e depois o real que o GP de Eifel foi disputado e apesar disso, foi uma corrida morna, sem muitos lances eletrizantes ou disputa real pela ponta (com uma exceção, como verá no parágrafo abaixo). Vamos à análise equipe por equipe dessa corrida

Mercedes: Bottas largou mal, mas na dividida de curva foi forte e bancou, ficando à frente. Infelizmente (para ele), errou e Hamilton o passou, para piorar perdeu potência do sistema elétrico e abandonou. Que zica! Hamilton deu o bote na hora certa e manteve Verstappen sob controle até a vitória que o empatou com Schumacher.

Red Bull:
Verstappen, mais uma vez, tranquilamente o melhor do resto. Albon numa corrida ruim, travou e estragou seu pneu dianteiro direito duas vezes e ainda arrancou a asa dianteira de Kvyat. Para coroar, antes de abandonar com problemas de motor, reclamou que os pilotos da Alpha Tauri estavam sendo “muito duros” nas disputas com ele. Ora ora, o que esperava, chá com torradas?

Racing Point: Sergio Perez em mais uma corrida sólida e sem erros conseguiu um sólido 4° lugar com ótimos pontos para sua equipe. Hulkenberg, sem conhecer nem treinar com o carro cheio de novidades da equipe, ainda conseguiu ganhar 12 posições e marcar mais 4 pontos, mostrando que ainda merece estar na disputa por um lugar na categoria ano que vem.

QUAL FOI O GP MAIS FRIO DA HISTÓRIA?

O TRISTE FIM DO SUPER IATE DE NELSON PIQUET

NIKI LAUDA ACELERA UM FÓRMULA 1 MODERNO E…

A FÓRMULA 1 FICOU MUITO CARA E COMPLICADA

McLaren: Norris vinha bem e tinha tudo para brigar pelo pódio, mas problemas em seu motor Renault (novinho), aparentemente na parte eletrônica o tiraram de combate e com isso ele perde o 4° da tabela de pilotos. Sainz finalmente terminou uma corrida e marcou bons pontos com seu quinto lugar, mas com um carro só agora a Racing Point e a Renault passou a equipe inglesa.

Renault: Ricciardo finalmente chegou no pódio, o seu primeiro desde os tempos da Red Bull, mostrando a evolução do carro e classe de sua pilotagem. Ocon vinha numa boa corrida, mostrando que está no caminho de se reencontrar com os bons resultados, mas foi outro abatido pelo motor Renault.

Ferrari:
Leclerc conseguiu um belo resultado com o carro que tem, em parte graças à uma pista onde o fator motor pesa um pouco menos, e também, claro, pelo abandono de carros competitivos que poderiam estar à sua frente como Renault, Mercedes, Red Bull e McLaren, mas o mesmo vale para os outros. Vettel fez uma corrida discreta e zerou, realmente parece já estar com a cabeça em 2021.

Alfa Romeo: Giovinazzi chegou nos pontos. Não chegou em Grosjean, entretanto, que em tese tem um carro pior que o dele. Kimi quase chegou nos pontos, mas não foi dessa vez. A notar seu erro em tocar e tirar Russel da corrida, realmente lamentável, ainda que tenha sido sem malícia.

Alpha Tauri:
Gasly mais uma vez capitalizando a boa oportunidade e mostrando força na disputa com Albon. Bons pontos que anotou hoje. Kvyat também fazia uma boa corrida, ainda que menos exuberante, mas aquela fechada de Albon arrancou sua asa dianteira e com ela suas chances de pontos.

Haas:
Romain Grosjean, mesmo com um dedo ferido por uma pedra dede a primeira volta, conseguiu marcar seus primeiros ponto do ano, uma ótimo resultado que mostra que apesar da fama de piloto estabanado, ele é sim bom, lembrando que errar num carro ruim é muito mais fácil e hoje ele não errou e Magnussen teve belas disputas com Vettel e Kimi, mas não conseguiu pontuar.

Williams:
Russell fazia uma boa corrida no início, largando bem, mas um toque desastrado de Kimi o tirou da corrida. Poderia ter pontuado? Difícil, já que a Williams sempre decepciona em ritmo de corrida, mas de toda forma havia uma chance mínima, onde chegou Latifi mostra bem isso.

Abaixo, seguem as tabelas com os resultados completos da corrida e as tabelas atualizadas dos campeonatos de construtores e pilotos após essa etapa:

Classificação de Pilotos 2020:

L. Hamilton – 230
V. Bottas – 161
M. Verstappen – 147
D. Ricciardo – 78
S. Perez – 68
L. Norris – 65
A. Albon – 64
C. Leclerc – 63
L. Stroll – 57
P. Gasly – 53
C. Sainz Jr. – 51
E. Ocon – 36
S. Vettel – 17
D. Kvyat – 14
N. Hulkenberg – 10
A. Giovinazzi – 3
K. Raikkonen – 2
R. Grosjean – 2
K. Magnussen – 1
N. Latifi – 0
G. Russell – 0

Classificação de Construtores 2020:

Mercedes – 391
Red Bull – 211
Racing Point – 120
Renault – 117
McLaren – 116
Ferrari – 80
Alpha Tauri – 67
Alfa Romeo – 5
Haas – 3
Williams – 0


Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

O GP mais frio da história

Nesse final de semana teremos um GP de Eifel (região da pista alemã de Nurburgring) sob condições de grande frio e possivelmente até pista molhada e nevoeiro, segundo algumas das previsões de meteorologia, com as temperaturas devendo oscilar entre 8 e 4 graus no domingo.

Assim, são grandes as chances de termos a corrida mais fria em décadas, mas será que ela será a mais fria da história oficial da Fórmula 1?

Segundo consta, esse título caberia, ao menos por enquanto, ao GP do Canadá de 1978, disputado sob a temperatura média de 5 graus centígrados e tempo nublado na estreia da nova casa do Grande Prêmio canadense na Île Notre-Dame em Montreal, saindo de Toronto, com direito a vitória do piloto da casa Gilles Villeneuve, que hoje batiza a pista.

O pódio da corrida, como pode ser visto na foto principal, foi com todo mundo encasacado, Gilles com um grande casaco marrom de gola peluda, seu companheiro de Ferrari, o argentino Carlos Reutemann e terceiro colocado com um gorro e casaco amarelo e Jody Scheckter, dono do segundo lugar com sua Wolff, também com um casaco de sua equipe e as mãos enterradas nos bolsos.

Aquela corrida, exatamente como a “nossa”, também foi disputada no segundo final de semana de outubro, em meio ao frio outono do hemisfério norte. Será que veremos mais esse recorde, agora de temperatura e não só de tempo, caindo em 2020?

O TRISTE FIM DO SUPER IATE DE NELSON PIQUET

NIKI LAUDA ACELERA UM FÓRMULA 1 MODERNO E…

A FÓRMULA 1 FICOU MUITO CARA E COMPLICADA

DANÇA DAS CADEIRAS 2021 – TODAS AS 20 VAGAS DA F1 ANALISADAS



Publicado em Uncategorized | 6 Comentários